Ginástica Alemã

Autor:
Instituição: Universidade Tuiuti do Paraná
Tema: História da Educação Física

Educação Física Alemã


Introdução

A Educação Física Alemã, com características próprias, começou em 1760, com Basedow e filantropismo por ele criado. Entre outros educadores tiveram grande influência: Guthsmuths como o Pai da ginástica, Jahn por sua ação de fundador e fomentador da ginástica patriótica e Spiens por sua luta tenaz em defesa da introdução da ginástica na escola e o seu respectivo aparelhamento. Também contribuíram muito Salzmam, Nachtegal, Eisclen e Friesen. Durante o período nazista, dentro dos conceitos de Jahn, surgiu na Alemanha um sistema militar tendo por objetivo, a preparação intensa do país para a guerra. No entanto, após o conflito o país voltou a empregar formas mais humanas e democráticas.


A ginástica de origem Alemã

Duas fontes contribuíram para a implantação da ginástica alemã no Brasil, fato ocorrido na primeira metade do século XIX. De um lado, as numerosas famílias alemãs que se instalaram no sul do país, formando núcleos que conservavam os hábitos trazidos, dentre os quais estava a ginástica de Jahn. De outro lado, os soldados e oficiais prussianos, que integravam a Guarda Imperial e que, ao deixarem o serviço, não mais regressavam à Alemanha, preferindo fixar-se no Jovem país, que tantas oportunidades lhes ofereciam. O Estado do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo foram os preferidos pelos alemães, embora algumas famílias também tivessem escolhido o interior do Estado do Rio de Janeiro, espalhando-se pelas suas serras, onde o clima era bastante ameno.

Muitas foram as sociedades de ginásticas criadas pelos alemães, que perduraram com as suas características próprias até 1938, ocasião em que, por força do Decreto-lei nº 383, de 18-04-1938, foram nacionalizadas. Na Escola Militar, o método alemão foi oficialmente adotado até 1912, quando foi substituído pelo método francês. Os alemães, desde a segunda metade do século XIX, trouxeram a ginástica alemã, preconizada por Jahn, fundando sociedades de ginástica como a União de Ginástica Alemã, em São Paulo, 1888, e a Sociedade Turnerbund em Porto Alegre, 1892. Por sua vez, a Missão Militar Francesa, que chegou no início do século XX, teve influência decisiva na Educação Física e orientação esportiva no país, tendo contribuído para a criação da primeira escola de educação física no Brasil, a da Força Pública de São Paulo, em 1909.

Idade Contemporânea: A ginástica, no entanto, como modalidade esportiva no aproveitamento dos exercícios físicos só começa a aparecer na Europa em meados do século XVIII. Jean-Jacques Rousseau ( 1712-1778 ) tem seu nome ligado ao reaparecimento da cultura física como fator de educação. Em seu Émile ( 1762; Emílio ) afirma:

Se deseja cultivar a inteligência de seu aluno, cultive as forças que devem regê-la. Exercite seu corpo continuamente. Faça-o forte e são, para que possa fazê-lo inteligente e racional. Deixe-o trabalhar, correr, gritar. Deixe-o sempre em movimento. Deixe-o ser homem de vigor e, pronto, será racional.

Despertou na Europa, nessa época, o interesse pela ginástica, em torno da qual se criaram quatro escolas principais: a inglesa, a alemã, a sueca e a francesa.

A Escola Alemã

Na Alemanha, a ginástica surge para atingir as finalidades apontadas anteriormente, particularmente a da defesa da pátria, uma vez que, este país, no início do século XIX, não havia ainda realizado a sua unidade territorial. Era preciso, portanto, criar um forte espírito nacionalista para atingir a unidade, que seria conseguida com homens e mulheres fortes, robustos e saudáveis.

Acreditavam os idealizadores da ginástica alemã que este "espírito nacionalista", e este "corpo saudável", poderiam ser desenvolvidos pela ginástica, construída a partir de "bases científicas", ou seja, das ciências que dominavam a sociedade da época: a biologia, a fisiologia, a anatomia.

Guths Muthus, um dos fundadores da ginástica na Alemanha, assim se expressa sobre o que deve dar fundamento à ginástica:

"... eu bem sei que uma verdadeira teoria da ginástica deverá ser fundada sobre bases fisiológicas e que a prática de cada exercício ginástico deverá ser calculada segundo a constituição de cada indivíduo."

Baseada nas leis da fisiologia, a ginástica para este autor deveria ser organizada pelo Estado e ministrada todos os dias para todos: homens, mulheres e crianças. Note-se que no início do século XIX, já aparece uma preocupação com o corpo da mulher, pois ela é que gera os "filhos da pátria". A ginástica, então, ministrada todos os dias, seria o meio educativo fundamental da nação, disseminando cuidados higiênicos com o corpo e com o espaço onde se vive.

As preocupações que nortearam os idealizadores da ginástica na Alemanha deitam raízes nas teorias pedagógicas de Rousseau, Basedow e Pestallozzi, teorias que justificam a idéia de formar o homem completo ( universal ) e onde o exercício físico ocupa lugar destacado.

Outro idealizador da ginástica na Alemanha que acompanha as idéias dos pedagogos liberais é Friederich Ludwig Jahn ( 1778-1825 ).

Jahn reforçará, para além da saúde e da moral, o caráter militar da ginástica. Ele acreditava que para formar o "homem total" a ginástica deveria estimular a aplicação dos jogos, pois eles se constituem em verdadeira fonte de emulação social, assim como dava, também, especial atenção às lutas uma vez que lhe era sempre presente a possibilidade de uma guerra nacional. Em suas formulações práticas para a execução dos exercícios físicos, Jahn cria "obstáculos artificiais", obstáculos esses que mais tarde serão denominados "aparelhos de ginástica".

Com forte orientação de teor cívico e patriótico, a ginástica de Jahn encontra grande respaldo na classe dirigente, que acaba por reforçar o caráter militar e patriótico de seu movimento de ginástica denominado de "Turnen". Este movimento era constituído de:

"... grandes festas gímnicas, grandes encontros de massas muito disciplinados, ( e ) são organizados a partir de 1814, mas sobretudo depois de 1860. Encontra-se ( no Turnen )... uma primeira forma de necessidades práticas da burguesia.

Essa forma de instrução física militar, destinadas às massas, embora disseminasse, do ponto de vista ideológico, a moral e o patriotismo, apresentava um forte conteúdo higiênico e tinha por finalidade primeira tornar os corpos ágeis, fortes e robustos. Em momento algum, a saúde física deixou de pontuar aquelas propostas, e o corpo anátomo-fisiológico sempre foi seu objeto de atenção. Os viés médico-higiênico emprestava o caráter científico que, juntamente com a moral burguesa, completava o caráter ideológico.

Se Guts Muths e Jahn preocuparam-se com os exercícios destinados as massas, Adolph Spiess ( 1810-1858 ) será aquele que se preocupará com a ginástica nas escolas e, assim como Basedow, propõe que um período do dia seja dedicado ao exercício físico.

A.R.Accioly assim esquematiza o sistema de ginástica escolar de A.Spiess:

Sistema Exerc.livres membros superiores

( sem aparelhos ) membros inferiore

De

Exerc. de suspensão barras

Ginástica paralelas

Exerc. de apoi cordas

Ginástica coletiva apoio propriamente dito

Suspensões

Balanceamentos

Marchas e exercícios

Ou ordem unida

Como podemos verificar, o sistema de ginástica de A. Spiess é absolutamente mecânico e funcional, muito embora a historiografia da Educação Física enalteça valores "pedagógicos" de seu sistema.

Conforme observa A R Accioly, Spiess era aquele que "... conceituava a educação como indivisível, abraçando toda a natureza da criança e situando a ginástica como responsável pela perfeição do corpo que a poria em equilíbrio com a alma.

 

Sistematização e Informações Biográficas

Joham Bernad Basedow ( 1723-1790 ) – Educador alemão, desde cedo teve no ensino a sua preocupação máxima. Caracterizou suas idéias em um estabelecimento chamado "Philantropinum", de cunho eminentemente democrático pois seus alunos pertenciam a todas as camadas sociais. Foi a primeira escola, a incluir ginástica no currículo, no mesmo plano das disciplinas chamadas intelectuais. Basedow deve ser considerado como verdadeiro precursor da linha doutrinária alemã, que viria encontrar em Guthsmuths o seu consolidor, e em Jahn o seu grande difusor e sistematizador.

Cristiano Salzamann ( 1774-1841 ) – Fundador do célebre Instituto de Schnepfental.

Deu caráter à prática de exercícios ginásticos; escreveu e publicou vários trabalhos especializados. Foi o primeiro a encarar a ginástica sob o ponto de vista patriótico. Guthsmuthus com ele muito aprendeu.

Anton Vieth ( 1763-1836 ) – Educador alemão, escreveu uma obra particularmente notável sobre a Educação Física, em que a par da história dos exercícios físicos, faz um excelente estudo sob o ponto de vista didático e técnico. É interessante salientar que já no seu tempo muito insistiu sobre a obrigatoriedade da educação física em todos os estabelecimentos de ensino.

Guthsmuths ( 1759-1839 ) – Considerando o "pai da ginástica moderna"concretizou a idéia do exercício racional. Em sua obra "Ginástica para a Juventude", preconiza a busca da beleza e da agilidade.

Distinguia em seu método os exercícios propriamente ginásticos ( como o salto, a corrida, o arremesso, a equitação, o balanceamento, o trepar, e a natação ), os trabalhos manuais e os jogos para a juventude.

Seu sistema é baseado, sobretudo, sobre os princípios dietéticos, mas admite também o valor da ginástica para formar a personalidade. Escreveu também outra obra notável, que intitulou "Livro de Ginástica para os Filhos da Pátria", dedicada à nobreza e ao povo de seu país, visando a preparação da mocidade para o serviço militar.

Frederich Ludwing Jahn ( 1778-1852 ) – Chamado o "Turnvater" ( pai da ginástica ), é, sem dúvida, a figura mais representativa da escola Alemã. Lecionou em Berlim, Fundou um Instituto Ginástico em Hasenheide e tomou parte em várias campanhas militares. Poor suas idéias patrióticas, esteve preso algumas vezes. Escreveu várias obras, entre elas, "A Arte da Ginástica Alemã", estudo de elevado valor metodológico, comportanto cinco partes: gimnicos, construção e instalação de um campo de ginástica, modo de praticarem os exercícios, bibliografia da arte ginástica.

Teve dois grandes colaboradores: Ernst Eiselen e Frederich Friesen, que se destacaram por seus trabalhos.

Para bem marcar o caráter nacional do seu sistema, Substituiu a palavra "Gmnastik"por "Turnunst", dando aos seus "Turners"uma insígnia bem significativa.

 

Bibliografia

Marinho, Inezil Penna e R., A. Accioly. História e Organização da Educação da ED. Física E dos Desportos.

Comentários