Amigo Nerd.net

Vitaminas, Hiper e Hipovitaminose

Autor:
Instituição: Unaerp
Tema: Vitaminas

VITAMINAS

Introdução:

Desde que a primeira vitamina foi descoberta, no princípio do século XX, esse grupo de substâncias não tem ainda definição satisfatória. O próprio nome vitamina encerra um conceito incorreto, pois originalmente o termo significa ''amina vital''. Mais tarde, descobriram-se vitaminas que não poderiam ser quimicamente classificadas como vitaminas.

Julgava-se também, a princípio, que o suprimento de vitaminas dependesse sempre da dieta: isto é, o organismo humano não as sintetizava, mas apenas aproveitava o trabalho de síntese de outros seres vivos. Sabe-se hoje que não é assim: a vitamina PP (ácido nicotínico) é sintetizada pelo organismo humano, assim como a vitamina K. Por outro lado, as bactérias saprófitas, hóspedes inócuos do intestino humano, sintetizam vitaminas do complexo B, que dessa forma não precisam ser necessariamente supridas pela dieta.

O resultado dessas sucessivas retificações de conceito é o de que ainda não se possui nenhuma definição segura do que sejam as vitaminas. Reconhece-se, porém, que algumas propriedades são comuns a todas elas: as vitaminas são indispensáveis ao desenvolvimento dos processos químicos que constituem o metabolismo humano; as vitaminas não são substâncias que se integram à estrutura dos tecidos; as vitaminas, embora substâncias orgânicas, não liberam energia mediante alteração de sua estrutura química, como acontece com o açúcar e outras substâncias nutritivas que sofrem modificação estrutural ao ceder energia.

As principais vitaminas dividem-se em dois grupos: as hidrossolúveis (solúveis em água) e as lipossolúveis (solúveis em gordura). As vitaminas do complexo B e a vitamina C fazem parte do primeiro grupo, enquanto as vitaminas A, D, E e K fazem parte do segundo.

A ausência absoluta de uma vitamina configura uma condição denominada tecnicamente avitaminose: níveis deficientes, por outro lado, configuram a hipovitaminose.

Além disso, o organismo humano poderá estar exposto a ocasionais aumentos de necessidades vitamínicas: trabalho muscular intenso e prolongado; gravidez e lactação; necessidades do crescimento e da dentição; convalescença; e outras.

Hoje, quase todas as vitaminas são produzidas em forma sintética, o que tornou possível a correção dos estados de avitaminose e hipovitaminose em condições rápidas e econômicas.

Por outro lado, as hipervitaminoses, níveis exageradamente altos de vitaminas no organismo, podem assumir formas graves, embora raras. As Hipervitaminoses ocorrem com as vitaminas lipossolúveis, pois não são eliminadas pela urina.

Excesso de vitamina D, por exemplo, pode determinar calcificações graves, em certos órgãos.

Já o excesso da Vitamina A, provoca dor de cabeça, ressecamento da pele com fissuras, perda de cabelos, aumento do baço e fígado, aumento dos ossos e dor nas juntas.


HIPOVITAMINOSES

HIPOVITAMINOSE A

A cegueira está no topo da pirâmide dos males da hipovitaminose. A vitamina A é importante para a formação dos pigmentos da retina e de outros elementos do sistema visual.

Crianças desnutridas, com insuficiência de vitamina A no organismo, trazem a marca registrada da carência dessa substância; a mancha de Bitot, uma mancha branca no olho, a marca registrada da hipovitaminose. A mancha cobre grande parte do olho e pode ser observada num exame de vista. A doença causa a cegueira progressiva ou perda parcial da visão.

A vitamina A está presente em alimentos gordurosos de origem animal (leite, manteiga, gema de ovo). O fígado de certos animais é particularmente rico em vitamina A, de onde o emprego terapêutico de óleo de fígado de bacalhau. Mas alimentos vegetais também oferecem bom suprimento de vitamina A, em forma precursora chamada caroteno (de carotena, cenoura). Além da cenoura particularmente rica na substância a que empresta o nome, também as ervilhas, a batata-doce e o espinafre são alimentos que cerram considerável teor de caroteno.

HIPOVITAMINOSE D

A vitamina D, também chamada anti-raquítilica, inclui-se entre as que previnem o raquitismo.

Encontrada principalmente em óleo de fígado de bacalhau, peixes etc.

HIPOVITAMINOSE E

A vitamina E, corresponde a vários compostos que recebem o nome de tocoferóis, substância de origem vegetal, especialmente do trigo e do amendoim. Experimentalmente, a hipovitaminose-E, provoca esterilidade nos ratos machos, com degeneração do epitélio dos testículos. Nas fêmeas, a hipovitaminose E provoca alterações graves, sobretudo durante a gravidez.

Não existem evidências satisfatórias de que a hipovitaminose seja um fator de esterilidade ou aborto espontâneo na espécie humana.

HIPOVITAMINOSE K

A vitamina K, também chamada anti-hemorrágica, é trabalhada pelo fígado que com ela sintetiza a protombina, um dos agentes diretos da coagulação (K Koagulation). Por isso, quando necessário, é administrada preventivamente no pré-operatório. Mas não detém hemorragias em curso e não atua em casos de hemofilia. Também pacientes atacados de hepatopatias graves têm dificuldades em sintetizar a protombina, o que determina uma certa propensão a hemorragias.

A vitamina K é sintetizada no intestino por bactérias saprófitas; além disso, encontra-se presente apreciável variedade de alimentos comuns, principalmente em legumes. Esses fatores, acrescidos ao fato de a vitamina K ser muito resistente ao calor, tornam relativamente rara a ocorrência de hipovitaminose K.

 

VITAMINAS DO COMPLEXO "B"

Algumas das vitaminas do complexo foram designadas com números que seguiam a letra fundamentalmente (B1, B2, B3, etc.), porém na maioria dos casos receberam nomes especiais. Todas essas substâncias têm grande importância na alimentação do homem, porém somente algumas são realmente indispensáveis.

HIPOVITAMINOSE B1

Tiamina (B1) ou aneurina - também chamada de vitamina antineurítica (neurite, inflamação de nervos), a tiamina é indispensável para o bom funcionamento do sistema nervoso. A carência de vitamina B1 determina sintomas diversos, principalmente nervoso cardíacos de intensidade variável, de acordo com o grau de carência. Quando há falta de tiamina, o paciente sofre de diminuição do apetite, seguida de distúrbios gastrintestinais e de debilidade geral. Podem surgir logo alterações nos membros que levam a uma completa paralisia dos braços e pernas. A paralisia é causada por degeneração (polineuropatia) dos nervos. São observados também sintomas como nervosismo, fadiga, depressão, irritabilidade e distúrbios de comportamento e memória.

A vitamina B1 é encontrada no mundo vegetal: na palha de arroz, em frutas, em verduras, em cereais como feijão, lentilha, ervilha etc. Nos tecidos animais, ocorre sob formas químicas diferentes e é encontrada no leite, na carne e em ovos.

HIPOVITAMINOSE B6

Piridoxina ou Adermina (B6) - como as demais vitaminas do complexo B, a piridoxina é encontrada no reino animal e vegetal: trigo, batatas, legumes, carne, leite e peixes.

A piridoxina é essencial para o crescimento de animais jovens. Graças à fartura dessa vitamina, tanto nos alimentos como pela produção da flora bacteriana intestinal, suas carências também são raras no homem.

Alguns tipos de convulsões sofridas por recém-nascidos devem-se à carência dessas vitaminas. No adulto podem ser identificados vários sintomas de carência: insônia, irritabilidade, fraqueza, dificuldade de movimentar-se, lesões cutâneas e nervosas.

A piridoxina é empregada freqüentemente no controle de náuseas e vômitos da gravidez.

HIPOVITAMINOSE B12

A vitamina B12 - Essa vitamina acabou por ser utilizada no tratamento da anemia perniciosa em conseqüência de uma série de fatos curiosos. Alguns cientistas da América do Norte estudavam as anemias provocadas em cães por hemorragias; observam então que a reconstituição dos glóbulos vermelhos ocorria com maior facilidade quando os cães eram alimentados com uma dieta muito rica em fígado.

Produz o fator antianêmico. Esse fator é fornecido normalmente pelo fígado à medula óssea para atender às necessidades da hematopoese (produção de sangue). Na ausência desse fator, os eritroblastos (células jovens) não podem amadurecer, produzindo hemácias anormais.

Além de estar presente no fígado, a vitamina B12 é encontrada também em ovos, leite, carnes e peixes.


HIPOVITAMINOSE C

Também denominada antiescorbútica, pois sua carência determina o aparecimento de uma moléstia conhecida desde os tempos das Cruzadas, o escorbuto. Essa doença caracteriza-se principalmente por hemorragias que atingem inicialmente as gengivas e os lábios e que podem estender-se conforme a gravidade do caso, a músculos, articulações, etc.

As hemorragias não são provocadas por uma alteração no processo de coagulação do sangue (como no caso da hipovitaminose K), e sim pela maior fragilidade dos capilares sangüíneos.

O ácido ascórbico, como a vitamina foi denominada, encontra-se principalmente em frutas cítricas, sob duas formas: reduzido ou oxidado (ácido deidroascórbico); ambos são igualmente ativos, porém a forma oxidada está muito menos difundida nas substâncias naturais.

TABELA RESUMIDA:

VITAMINAS

FUNÇÕES

CARÊNCIA

ONDE ENCONTRAR

A

Atua no mecanismo de visão, na síntese do RNA, fortalece a pele e metaboliza gordura e outras vitaminas.

Dificuldades de visão na penumbra, ao escurecer e ao ficar exposto à luz forte.

Cenoura crua, agrião, fígado de peixe, mamão, tangerina, gema de ovo, abóbora e leite.

B (B1, B2, B5, B6, B12)

Age nas formações das células do sangue, sistema nervoso, funcionamento de tireóide e do aparelho reprodutor.

Anemia perniciosa (cianocobalamina), beribéri (tiamina) e pelagra (niacina

Pinhão cozido, miúdos, amendoim, cereais integrais, gema de ovo, queijo, peito de frango, anchova, atum, salmão, leite, beterraba, vagem.

C

Sintetiza o colágeno, ajuda absorção de ferro e atua na formação da hemoglobina.

Escorbuto (inflamação da gengiva, abalo dos dentes). Gripes e resfriados.

Acerola, laranja, limão, mamão, caju, kiwi, pimentão verde, agrião, abobrinha e repolho.

D

Fundamental para o crescimento e a conservação dos ossos e dos dentes.

Raquitismo e amolecimento dos ossos (ósteo-malácia).

Óleo de fígado de bacalhau, peixes (salmão, sardinha e arenque), leite, gema de ovo, grãos germinados.

E

Melhora e oxigenação celular. Atua no desenvolvimento corporal e na proteção e na proteção contra o envelhecimento precoce.

Atrofia testicular, distrofia muscular, anomalias embrionária.

Trigo, óleo de germe de trigo, óleo de soja e de milho, gema de ovo, abacate, couve, espinafre, amêndoas, avelãs e damasco seco.

K

Fundamental para o mecanismo de coagulação do sangue.

Ocorrência de hemorragias.

Folhas de nabo, soja, brócolis, espinafre, repolho, alfafa, trigo germinado, aveia, algas gema,

Comentários


Páginas relacionadas