Planejamento em Enfermagem

Autor:
Instituição: Desconhecida
Tema: Planejamento

Planejamento


1. Introdução

O seguinte trabalho tem como objetivo apresentar como o planejamento é aplicado na área de enfermagem, demonstrando sua função vital para o funcionamento estruturado do local de trabalho, gerando eficiência e competitividade. O trabalho também irá mostrar que, com o planejamento, o profissional de enfermagem age mais claramente, sem que sejam necessários improvisos ou medidas de emergência.


2. Desenvolvimento

2.1. Conceito de planejamento

O planejamento é um fato muito comum. Todos nós vivemos planejando alguma coisa. Quando pretendemos ir ao centro da cidade com o nosso automóvel, planejamos o caminho a ser percorrido. As donas de casa planejam as refeições da família. Para fazermos um trabalho escolar, planejamos as etapas para que ele esteja organizado. No ramo de enfermagem acontece o mesmo: o planejamento é base essencial para que alcancemos uma meta. O planejamento é umas das principais funções para a viabilidade do exercício de enfermagem. Ele é necessário para determinar os métodos e tipos de controle que se vai adotar. Seria muito conveniente se o planejamento não precisasse ser mudado, uma vez que ele foi definido. Mas, em virtudes das condições externas sempre mutáveis, o planejamento deve ser um processo contínuo. Por essa razão flexibilidade é um fator importante no processo de planejamento. A função de planejar é definida como a análise de informações relevantes do presente e do passado e a avaliação dos prováveis desenvolvimentos futuros, de forma que um curso de ação seja determinado e que se torne possível atingir um objetivo. Por ser considerado um processo de tomada de decisão, é uma tentativa racional, com o fim de se atingir um objetivo que, na área de enfermagem, trata-se de um alvo específico planejado em conjunto pelo paciente e pelo enfermeiro, a fim de se alcançar um alto grau de conforto.

2.2. Tipos de planejamento

2.2.1. Planejamento estratégico: O planejamento no nível institucional recebe o nome de "planejamento estratégico". Esse planejamento é genérico, direcionado a longo prazo e macroorientado. O planejamento estratégico envolve a implementação da estratégia escolhida através de planos táticos e operacionais, visto que esse tipo de planejamento é o mais amplo de todos, e abrange os demais(planejamentos tático e operacional). Vale a pena destacar que as decisões tomadas ao nível estratégico são de difícil reversibilidade, já que envolvem decisões complexas e que comprometem grande volume de recursos, além de um expressivo grau de risco.

2.2.2. Planejamento tático: É um planejamento intermediário, que representa a ligação entre o planejamento estratégico e os planos operacionais voltados para a execução das tarefas e operações. O planejamento tático é um processo permanente e contínuo, isto é, não se esgota na simples montagem de um plano de ação; é mais detalhado do que o plano citado anteriormente.

2.2.3. Planejamento operacional: O planejamento no nível hierárquico mais baixo (operacional), se preocupa basicamente com "o que fazer" e com "como fazer". Diante disso, o planejamento operacional se caracteriza pelo detalhamento com que estabelece as tarefas e operações, pelo caráter imediatista focalizando apenas o curto prazo e pela abrangência local abordando apenas uma tarefa ou uma operação. Os planos operacionais estão voltados para a eficiência (ênfase nos meios), pois a eficácia (ênfase nos fins) é problema dos níveis institucional e intermediário. Portanto, esse planejamento diz respeito às operações atuais e é um tipo de planejamento da assistência de enfermagem individualizado.

2.3. Características do planejamento

2.3.1. Unidade: O planejamento é composto de fases dependentes entre si; uma vez que haja alguma fase que não esteja interligada com as demais, pode haver o risco de que haja planos com opiniões divergentes, gerando assim um resultado contraditório e, portanto, um planejamento indesejado.

2.3.2. Continuidade: É importante que haja uma seqüência de fases coerentes e sem interrupção para o exercício do planejamento, tornando possível a evolução do mesmo, e não fazendo dele um planejamento sem sucesso.

2.3.3. Flexibilidade: Confere caráter estático e mutável ao planejamento, uma vez que essa característica permite uma regularização ao planejamento, retificando seus problemas ou mudando o curso de planos já planejado.

2.3.4. Clareza e precisão: Deve-se evitar duplo entendimento no planejamento, ou seja, é importante que o objetivos traçados sejam planejados precisamente, coerentemente, evitando esforços ínfimos.

2.3.5. Exeqüibilidade: Deve haver realismo no planejamento, de modo que se evite a implementação de planos utópicos ou sem operação.

2.4. Etapas para se chegar ao planejamento

2.4.1. Levantamento de dados: Esta fase é essencial para o exercícios das demais, pois ela é considerada o histórico de enfermagem, ou seja, ela é base das outras etapas. Aqui, os dados são obtidos e analisados. De acordo com essa análise, serão estabelecidas alternativas viáveis para o curso da ação.

2.4.2. Determinação de objetivos: Os objetivos devem ser compatíveis com o resultado do levantamento de dados. Daí, haverá de se encontrar meios através dos quais se chegará ao objetivo, determinando os métodos e a divisão de trabalho para execução desses meios.

2.4.3. Estabelecimento de prioridades: Após a determinação dos objetivos, haverá o estabelecimento de prioridades, que classifica os objetivos em ordem de importância. Essas prioridades estabelecidas são muito importantes para a assistência do paciente.

2.4.4. Projeção dos resultados: Os efeitos projetados servem como base para o critério de avaliação usado para julgar a eficiência do plano de assistência de enfermagem.

2.4.4. Execução do plano: Nessa fase, há organização dos procedimentos adotados para que haja execução do plano. A ausência dessa fase torna o planejamento teórico. Por isso, a conversão do plano para a prática é a maior razão para o planejamento.

2.4.5. Avaliação e replanejamento: Essa é a etapa na qual haverá avaliação dos resultados do plano. Há a comparação dos resultados atuais com os desejados a fim de se identificar e medir os resultados do planejamento de acordo com os objetivos que se esperava alcançar. Depois de se observar os eventuais problemas surgidos, é necessário um replanejamento, de modo que se solucione esses problemas.


3. Conclusão

Neste trabalho, foi apresentada a definição de planejamento, seus tipos, características e etapas para atingi-lo. Pelo que foi visto, conclui-se que o planejamento é essencial para o exercício de enfermagem, pois facilita o trabalho do profissional dessa área, permitindo-o organizar suas idéias e aprimorar seus métodos de trabalho, com alternativas criativas. O planejamento é influente em várias áreas, pois é um método preciso e organizado, não abrindo espaço para ambigüidades nem incoerências; é empregado também no ensino e na pesquisa em enfermagem e, em ambos, constitui-se como uma ferramenta muito forte para a obtenção de resultados satisfatórios.

Comentários