Amigo Nerd.net

Tratamento da Doença de Graves

Autor:
Instituição: Universidade Severino Sombra
Tema: Medicina

Tratamento da Doença de Graves


Introdução

Etiologia mais comum de hipertiroidismo (80-85% dos casos), 0,5% da pop. Mais comum em mulheres, pico de incidência entre a 2 e 4 décadas de vida.

Doença de Graves:


Patogenia

Síntese de Ac contra o receptor do TSH pelo linfócito B

Ac contra receptores do TSH (TRAb) :

Doença de Graves pode ser fatal devido as suas complicações cardiovasculares


Diagnóstico Clínico

Hipertiroidismo

Nervosismo, insônia, emagrecimento, taquicardia, palpitações, intolerância ao calor, sudorese excessiva com pele quente e úmida, tremores, fraqueza muscular e hiperdefecação.

Hipotiroidismo apatético:

Bócio

Oftalmopatia infiltrativa

Mixedema Pré-tibial


Diagnóstico laboratorial

Função tiroidiana

TSH suprimido, elevação do T3 e T4

Anticorpos antitiroidianos

Presente na maioria dos pacientes, geralmente em títulos baixos.

Ocasionalmente => títulos elevados => Hashi-toxicose ou Hashi-graves

Anticorpos Anti-receptor do TSH (TRAb)

=> Específica para doença de Graves

Captação do Iodo radioativo (RAIU) nas 24h

Alterações hematológicas e bioquímicas

Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF)

Caso apresente nódulo tiroidiano frio


Tratamento

No Brasil opta-se geralmente pelas drogas antitiroidianas (DAT)

Tratamento medicamentoso:

Propiltiouracil - PTU (comp. 100mg)

Dose de ataque (4-8 semanas): 300-400mg/dia (em 2 a 3 tomadas)

Manutenção: 50-200mg/dia (em 2 tomadas)

Mecanismo de ação:

Metimazol – MMI (Tapazolâ , comp 5 e 10 mg) – mais barato , dose única

Seguimento dos Pacientes

Duração do tratamento

2 anos => remissão em 50%

Efeitos colaterais


Fatores que influenciam a resposta a longo prazo às DATs

Duração do tratamento

75% das recidivas ocorrem dentro de 3 meses após a suspensão da tionamida e 90% em 2 anos

Terapia Combinada

Tamanho do bócio

Bócios maiores têm chances menores de remissão definitiva

Idade

Quanto mais idoso menor a chance de recidiva.

Níveis de T3

T3 elevado ao final do tratamento significa maior chance de recidiva

TRAb

presença de TRAb => 75-92% de chance de recidiva

Betabloqueadores (propranolol)


Iodo radioativo

Indicação

Dose

80 a 100mCi/g do peso da tireóide

Preparação

Na Insuficiência cardíaca, tireotoxicose grave ou grandes bócios, deve-se primeiro tornar o paciente eutiroideo com uso de DATs

Eficácia

Complicações

Contra-Indicações

Gravidez, bócio muito volumoso, recusa do paciente, oftalmopatia infiltrativa importante


Cirurgia ( tiroidectomia subtotal)

Indicações e complicações

Indicações

Complicações

Eficácia

Recidiva em 0,6-2,8% => média de 10%

Preparo pré-operatório

- Dexametasona 0,5mg a cada 6 h
- Propranolol 40mg a cada 8 horas
- Acido iopanóico (Telepaqueâ ) 500mg a cada 6 h


Doença de Graves e Gravidez

Diagnóstico

Complicações

Tratamento

Antitiroidianos de síntese

- PTU => tratamento de escolha: atravessa a barreira placentária em menos quantidade e não se concentra no leite

Dose

A mínima possível: Ataque de 300mg/dia e manutenção de 50-150mg/dia

Propranolol

- Usar em último caso=> pode causar bradicardia fetal

Iodo Radioativo

- Contra indicado => causa cretinismo

Prognóstico

80-90% das gestantes tratadas adequadamente tem desfecho da gravidez normal


Tratamento da doença de Graves Neonatal

Processo geralmente auto-limitado ( 4-12 semanas de duração)

Utilizar:

Obs: digitalização pode ser necessária.

Comentários


Páginas relacionadas