Amigo Nerd.net

Ceras Odontológicas

Autor:
Instituição: Unicastelo
Tema: Cera

CERA

APLICAÇÕES EM ODONTOLOGIA

1- Padrões para incrustrações, coroas, pônticos e partes de dentaduras parciais.

2- Padrões para dentaduras totais

3- Moldagens de áreas desdentadas

4- Procedimentos de preparos vários em trabalhos de prótese

5- Registro de mordida


Composição

As ceras são polímeros orgânicos constituídos de hidrocarbonetos e seus derivados. O peso molecular médio de uma mistura de cera é cerca de 400 a 4000, o que é baixo, comparado com os polímeros acrílicos estruturais. As ceras dentárias são misturas de componentes, que incluem ceras sintéticas e naturais, resinas naturais, óleos, gorduras, gomas e agentes corantes.

As ceras naturais são de origem mineral, plantas, insetos ou animais.

A cera parafina é relativamente mole e tem baixo intervalo de fusão. É usado em ceras para modelagem e para incrustação. É uma cera mineral obtida pelo óleo cru refinado.

A cera de abelhas é frágil, apresentando uma zona de fusão intermediária. É adicionada a muitas ceras, devido as suas propriedades de escoamento desejáveis, à temperatura bucal.

A cera de carnaúba é dura e tenaz, com alta zona de fusão. É adicionada para aumentar a tenacidade da parafina e aumentar sua zona de fusão. É uma cera vegetal, obtida de folhas da palmeira carnaúba.

Ceras microcristalinas apresentam alta zona de fusão. São adicionadas para modificar as zonas de amolecimento e fusão das misturas de ceras. Servem, igualmente, para reduzir as tensões que ocorrem no esfriamento. Uma cera mineral obtida de petróleo.

Ceras sintéticas apresentam pontos de fusão específicos e são misturadas com as ceras naturais. O polietileno de baixo peso molecular é um exemplo de cera sintética.


MANIPULAÇÃO

Ceras para padrões

As ceras para fundições são usadas para secções finais de algumas dentaduras parciais e padrões de coroas e pontes fixas. Elas são particularmente convenientes no preparo de núcleos ou de grampos que exigem regiões uniformemente finas.

Ceras em placas são usadas na construção de padrões de dentaduras completas e como roletes de oclusão, embora existam ceras especiais para roletes oclusais. Ceras especiais podem ser usadas para montagem de dentes de uma dentadura, em lugar da cera em placa.

A cera em placa é usada, como molde para a construção de próteses fixas temporárias e como cera para registro de mordida. Apresenta também algumas aplicações em ortodontia.


CERAS PARA OUTROS TRABALHOS


CERAS PARA MOLDAGENS

Elas apresentam elevado escoamento e deformam-se quando removidas de retenções.

As ceras para moldagens é usada para moldagens de dentaduras. É limitada a regiões desdentadas da boca.

As ceras corretivas servem para forramentos de cera, para registrar detalhes e para deslocar regiões selecionadas de tecido mole, em moldagens de desdentados.

Ceras grafitadas são usadas para moldagens finais, com anéis metálicos.

Ceras para mordida são usadas em algumas técnicas protéticas. Um uso típico seria o registro de mordida.


PROPRIEDADES

ZONA DE FUSÃO

As ceras podem conter tanto componentes cristalinos como amorfos, cada um com uma certa distribuição de pesos moleculares. Dessa forma, as ceras fundem em um intervalo de 5 graus à 30 graus C, mais propriamente do que em uma única temperatura.

EXPANSÃO E CONTRAÇÃO TÉRMICAS

A contração total da cera, no esfriamento, a partir de líquido até sólido, à temperatura ambiente, pode ser tão elevada como 0,4% e consiste da contração de solidificação somada à contração de esfriamento, até a temperatura ambiente e após a solidificação.

ESCOAMENTO

O escoamento é uma medida da habilidade de uma cera deformar-se sob a ação de forças pequenas. O escoamento aumenta com a temperatura e a magnitude da força. Nas temperaturas próximas de suas zonas de amolecimento, as ceras podem escoar sob seu próprio peso. Em líquidos, o escoamento é medido pela viscosidade. Em sólidos o escoamento é medido pelo grau de deformação plástica durante determinado período de tempo.


DISTORÇÃO DE CERA

MEMÓRIA

As ceras apresentam um comportamento parcialmente elástico e tendem a retornar as suas formas originais, após a deformação. Uma barra retilínea de cera, que foi dobrada na forma de uma ferradura, ira tornar-se lentamente retilínea, à temperatura ambiente.

DIMINUIÇÃO DA DISTORÇÃO DO PADRÃO

Aquecimento uniforme. A cera para a técnica direta deveria ser aquecida a 50 graus C, por 15 minutos, antes do uso.

INCLUSÃO RÁPIDA DO PADRÃO

As paredes rígidas do revestimento endurecido exercem uma influência contritora sobre o padrão e reduzem a distorção devida à recuperação e às tensões residuais.

ARMAZENAGEM EM BAIXA TEMPERATURA

A recuperação elástica é mais lenta à baixas temperaturas e assim, se a inclusão imediata não for possível, deve-se preferir armazenagem em refrigerador. Se um padrão for refrigerado, entretanto, ele deveria ser deixado aquecer à temperatura ambiente, antes de sua inclusão.

RESÍDUOS APÓS VOLATIZAÇÃO

Na técnica da cera perdida, as réplicas em cera são eliminadas do revestimento, por vaporização pelo calor. Neste processo é essencial que não permaneçam resíduos pois isto resultaria em fundição precária, por causa de inclusões ou margens incompletas.

Comentários


Páginas relacionadas