Amigo Nerd.net

O Papel das Telecomunicações na Globalização

O Papel das Telecomunicações na Globalização


Introdução

Ao contrario do que se pensa a globalização é um fenômeno que acontece desde da antigüidade, quando o Egito dos Faraós dominava o "mercado mundial de cereais" ou milênios mais tarde quando os sucessivos impérios (babilônicos, sírios, até os romanos), controlavam todo o velho mundo impondo suas línguas, cultura e interesses.

Portanto a globalização tal como conhecemos hoje é resultado dos fatos históricos e um conjunto de medidas políticas, das necessidades e prioridades dos agentes econômicos e do desenvolvimento dos meios de comunicação à distância.

Na política é importante ressaltar os acordos de livre comércio (como o MERCOSUL, União Européia, entre outros) estes acordos causam outros efeitos como adequamento de leis, tarifas alfandegárias e políticas econômicas entre os países participantes.

No aspecto econômico estão os organismos internacionais FMI (Fundo Monetário Internacional), OMC (Organização Mundial do Comércio) e as empresas multinacionais que criaram o "consumismo", fazendo com que as necessidades de consumo tornassem "globalizadas". Em todo mundo pessoas almejam comprar um determinado carro, conseguir um novo computador, comer em um "Mc Donald¢ s" ou beber "Coca-Cola". Estas empresas transcendem as fronteiras étnicas, religiosas e nacionais. Por exemplo, a "Coca-Cola" é bebida tanto nos Estados Unidos, capitalista rico, no Brasil, capitalista em desenvolvimento, na África pobre, quanto no Oriente Médio muçulmano e na China comunista (ambos inimigos dos EUA).

Os meios de comunicação são o alvo desta monografia: seu surgimento, o desenvolvimento, seus diversos tipos (rádio, televisão, telefone, internet), a influência das telecomunicações na história moderna tanto do Brasil quanto no mundo e a sua intima ligação com a globalização e o capitalismo.

 

Diferenças Básicas entre Telecomunicações e Comunicações

O modelo básico da comunicação é:


De acordo com este modelo, para haver comunicação é necessário que haja pelo menos duas pessoas numa conversa. Já nas telecomunicações é preciso de apenas um emissor e um receptor, este modelo é chamado "simplex monopontual" (ver fig. 1).No caso de uma estação de rádio ou de televisão, há um transmissor e diversos reptores formando um sistema "simplex multipontual" (ver fig. 2), mesmo que for considerado a possibilidade dos receptores enviarem uma carta, telefonarem ou mandarem um "e-mail", esta comunicação é facultativa e não utiliza o mesmo meio de comunicação.

No caso de conversação há dois tipos de modelos o "semi-duplex" onde apenas um dos participantes pode falar de cada vez, por exemplo o "walk-talk", o outro é o "full-duplex" ou "duplex" (ver fig. 3) onde os participantes podem transmitir e receber informações ao mesmo tempo, como exemplo o telefone celular, teleconferência e internet .

 

O Desenvolvimento das Telecomunicações

A humanidade sempre desejou comunicar-se com outros que estão distantes, pelos mais variados motivos, um pai querendo avisar seu filho da morte de alguém, um general avisando o governo da vitória em um batalha ou pedindo reforços, etc. Por isso eram necessários mensageiros, que deveriam atravessar quilômetros. Se eles conseguiram entregar a mensagem ou não era uma incógnita. Com isso várias gerações procuravam desenvolver métodos de comunicação a distância, como os pombos correio, os índios que enviavam mensagens através de sinais de fumaça, tambores, os antigos exércitos utilizavam trombetas, sinais com fogos (depois da descoberta da pólvora) ou outros materiais explosivos formando códigos, porém estes métodos eram ineficientes e alcançavam curtas distâncias. Durante muito tempo estes foram os métodos utilizados pois o desenvolvimento de novas tecnologias só aconteceu com o renascimento cultural no final da Idade Média.

O nascimento das telecomunicações se dá com "a invenção do telégrafo óptico por Claude Chappe (1791), que já nas primeiras décadas do século XIX se espalha pela Europa. No ano de 1837 Samuel Morse inventa o telégrafo elétrico"1, que tem grande aceitação nos Estados Unidos (talvez por Morse ser americano), "em 1861 é construída a primeira linha interoceanica ligando os EUA à Europa através do telégrafo elétrico" 1, como conseqüência "no ano de 1865 é criada a ‘União Telegráfica Internacional’ que mais tarde se torna a ‘União Internacional de Telecomunicações’"1 sendo a regulamentadora das normas e especificações do setor.

"Em 1876 Graham Bell patenteou a invenção do telefone"1 e cria sua empresa "Bell South" que incentiva o surgimento de diversas empresas tanto na Europa quanto na América inaugurando uma nova fase na história das telecomunicações.

"Em 1896 Marconi patenteou o telegrafo sem fio" 1 (apesar do padre Landell de Moura já possuir patentes anteriores), que se espalhou pelo mundo, sendo este aparelho utilizado nas comunicações marítimas até há alguns anos . O telégrafo sem fio é o precursor do rádio, pois possui o mesmo princípio básico.

"No início o rádio era apenas usado para fins militares, porém com o fim da Primeira Guerra Mundial as industrias eletrónicas estavam com os estoques "encalhados", o que incentivou o uso comercial. No começo na década de 20 a programação era feita pela próprias empresas fabricantes"3 e logo tornou-se "a nova mania" mundial. Ainda nesta década foram desenvolvidos todos os elementos necessários para a criação da televisão, que só terá sua "explosão" no final da década de 30.

Durante a Segunda Guerra Mundial os sistemas de rádio transmissão são aperfeiçoados, "no ano de 1946 é inventado o computador. Em 1951 são feitas as primeiras transmissões a cores nos Estados Unidos."1

Com o "lançamento do sputinik em 1957"1 é impulsionada a corrida espacial dos anos 60 resultando no desenvolvimento dos satélites artificiais, no fim dos anos 70 é desenvolvida a tecnologia do telefone móvel celular" 1, "já a década de 80 é marcada com o aparecimento do PC (computador pessoal)"6 , modificando o dia-à-dia de empresas e nos anos 90 é popularizada a internet havendo milhares de computadores ligados a ela.

 

As Telecomunicações no Brasil

Desenvolvimento da Telefonia

O desenvolvimento das telecomunicações no Brasil começou com "o Barão de Mauá, que convence a se construir um cabo submarino ligando o Brasil à Europa (1874)"1 e com o interesse em tecnologia "do imperador Dom Pedro II, que influenciou o reconhecimento do telefone em sua visita à ‘Exposição da Filadélfia’ (1876)"2. A partir de então o imperador incentivou as instalações de telefones no Brasil colocando um telefone ligando o palácio com a guarda e propiciando todos os meios para instalação de companhias telefônicas no Brasil. No início do século XX as principais capitais tinham vários quilômetros de linhas telefônicas.

"No ano de 1923 é criada a CTB- Companhia Telefônica Brasileira, que durante décadas foi a principal companhia telefônica, no ano de 1966 ela foi estatizada, um ano antes era criada a Embratel, sendo estas duas as mais importantes na formação do sistema Telebrás (1972). A partir de então começou a instalação de ‘orelhões’ e os ‘planos de expansão’ (onde o proprietário do telefone adquiria cotas de ações da empresa provedora do serviço) , no de 1975 começa a funcionar a ‘Rede Nacional de Telex’. "1

Na década de 80 a telefonia brasileira entra em nova fase com o desenvolvimento da fibra óptica, o inicio do uso de "links" pelo "Brasilsat (primeiro satélite brasileiro, colocado em orbita no ano de 85)"1 e do uso das primeiras rede de dados.

Nos anos 90 tem o inicio do uso de telefones celulares (Banda A, posteriormente banda B digital), videoconferência (sistema em voga nas principais empresas e em algumas universidades), "no ano de 1995 é implantada a ‘internet’ "1 que causa uma revolução no sistema de telefonia brasileiro, pois muitas centrais antigas analógicas foram trocadas por centrais digitais e o uso de rede de fibras ópticas se multiplicou. Em 1998 o Sistema Telebrás é privatizado tendo fim o monopólio do Estado no setor. É criada a ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações).

Em 2000 começa o funcionamento da internet em celulares ou "internet de bolso", começa as discussões para a utilização da banda C de telefonia celular.

 

Rádio e Televisão

"O padre Landell de Moura foi o primeiro a desenvolver aparelhos de rádio transmissão parecidos com os atuais (no ano de 1893)"1, porém no Brasil não obteve apoio, o que o abrigou a patentear seus inventos nos Estados Unidos, lá houve interesse de empresários, mas Landell não aceitou as propostas oferecidas, alguns anos depois o italiano Marconi, desenvolveu seus próprios aparelhos que se tornaram famosos em todo o mundo, que o tornou o "pai" do rádio e o padre Landell foi praticamente esquecido.

O rádio só "voltou" ao Brasil nos anos 20, com o início do uso comercial acompanhando o que acontecia no resto mundo. A partir de então o "mundo das notícias" começou a fazer parte da vida do brasileiro, as mulheres acompanhavam as rádio-novelas, enquanto outros ouviam música e dentro de alguns anos começaram a transmitir eventos esportivos, o Brasil acompanhou a Segunda Guerra Mundial através do rádio.

A chegada da televisão no Brasil se dá com "o pioneiro Francisco de Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados, cadeia de jornais e emissoras de rádio, realizou seu grande sonho: inaugurou no dia 18 de Setembro [de 1950], a TV Tupi de São Paulo, PRF-3 TV, canal 3. O primeiro programa transmitido foi ‘TV na Taba’, apresentado por Homero Silva, sendo todo o equipamento importado dos EUA."4 Durante a década de 50 surge a "1ª geração de emissoras", sendo elas: "a TV Paulista em 1952, a TV Record em 1953, a TV Rio em 1955 (fechada em 77), a TV Excelsior em 1959 (fechada em 70) e a TV Cultura em 1963".4

A partir de 1964 o Brasil viveu um período de ditadura militar onde todas as programações de rádio e televisão (além das outras mídias) eram censurados. Diante deste quadro vários artistas brasileiros participavam de festivais cantando músicas de protesto no movimento da tropicalia, a juventude se divertia com as músicas da jovem-guarda, esses "shows" eram transmitidos "ao vivo" pelas principais redes de rádio e televisão. Neste período surgiram as atuais redes de televisão: "Globo em 1965 (que comprou a TV Paulista), a TV Bandeirantes em 1967 e a TV Gazeta em 1970. O Brasil tem sua primeira transmissão a cores em 1970"4, porém a "programação regular em cores só começou em 1972"1 (relativamente tarde comparando com os EUA). "Já o SBT e a TV Manchete (atual Rede TV) surgiram em 1981 com a compra da TV Tupi-SP e TV Excelsior, respectivamente."4 Durante a década de 80 a abertura política permitiu que a programação se tornasse mais ousada. Nas rádios se tocava o "rock" nacional e acontece a invasão das músicas estrangeiras.

O poder "global" se torna tão grande que nas eleições presidenciais de 1990 incentiva de maneira "sutil" a candidatura de Fernando Collor de Melo e tem papel importante na sua cassação em 93, durante alguns anos o SBT saía do ar durante o "Globo Repórter", pois colocar um programa neste horário não era economicamente viável. Ironicamente a reação das emissoras rivais foi de investir em programas populares e novelas mexicanas que custavam pouco e davam bom retorno. A disputa pela audiência se torna acirrada e os programas cada vez mais apelativos.

Chegando ao ano 2000 a interligação entre os meios de comunicação se torna cada vez maiores hoje é possível ouvir rádio ou assistir um programa de televisão pela internet.

 

Fatos Marcantes

Diversos momentos da história moderna foram marcados pelo uso das telecomunicações, sendo interessante analisar alguns destes fatos.

Na Segunda Guerra Mundial, os ingleses haviam decifrado o código de comunicação dos nazistas, porém numa destas interceptações foi descoberto que uma cidade seria bombardeada. Se caso a cidade fosse evacuada os alemães descobririam que o código havia sido quebrado, mas ocorreu de outro modo, a cidade não foi avisada, entretanto os ingleses conseguiram informações suficientes para vencer os alemães em outras batalhas, o que levou à futura vitória na guerra.

Já na Guerra do Vietnã, a influência das telecomunicações foi oposta, pois as batalhas eram transmitidas pela televisão, os americanos jantavam vendo cenas de morte e destruição, o que causou grandes manifestações populares contra a guerra e levou ao poder Richard Nixon, que tinha como uma das propostas de governo "trazer os meninos de volta pra casa".

Na Guerra do Golfo (1991) , também chamada por muitos de "guerra eletrônica", o uso das telecomunicações também foi marcante pela enorme quantidade de armas controlados via rádio, sem falar nos tanques com "visão infravermelho" e nos aviões de caça com mísseis teleguiados.

Outro episódio interessante da Segunda Guerra Mundial é a propaganda nazista durante a presidência de Ritler, foram utilizados as mais variadas mídias para mostrar as "virtudes do regime", a população via filmes com paradas militares, discursos de Ritler, cidades limpas, pessoas educadas, já em outros os judeus eram comparados a ratos (desculpem-me os judeus!) que trazem doenças e causavam pânico nas cidades, depois dessa "lavagem cerebral" coletiva era extremamente fácil recrutar soldados. Seria muito simplista da minha parte dizer que a Segunda Guerra começou e terminou "graças" as telecomunicações, mas é inegável a sua importância.

Não só em guerras, mas também na política há o "dedo" dos meios de comunicação, um bom exemplo é o próprio Nixon que sofreu impeachtment devido as acusações do caso "Watergate" ("uma rede de corrupção envolvendo desvio de dinheiro para a reeleição do presidente, além de operações de espionagem e sabotagem feitas por policiais "5), a repercussão na mídia foi tremenda, sendo impossível para os envolvidos negarem participação. Situação que lembra o caso PC e suas relações com o ex-presidente Fernando Collor.

Mesmo no nosso cotidiano as telecomunicações mudam nossas decisões, como cancelar um passeio por que a previsão do tempo diz que vai chover ou por um telefonema inesperado ou pior as bolsas da Ásia caiaram e você perdeu seu emprego e ouviu esta explicação! A verdade é que estamos cada vez mais dependentes das telecomunicações (e da globalização também).

 

Conclusão

Espero que o objetivo desta monografia tenha sido alcançado, mostrar que a globalização é um processo constante, que acontece por causa do gigantismo do homem e do desejo de encontrar melhores condições de vida. O que ocorre atualmente é que como vivemos numa sociedade capitalista, que estimula o lucro, e o mundo está interligado através das telecomunicações, a globalização ganha uma velocidade frenética do mesmo modo que um fato ou um boato, gerando resultados incalculáveis, não importando se você vive no Brasil, nos EUA ou no Nepal.

Outro aspecto importante ficou nas entrelinhas que gostaria de comentar (não por duvidar da inteligência do leitor, mas sim para cristalizar meu ponto de vista), o desenvolvimento da ciência está mais relacionado com os benefícios e lucros do que com a curiosidade do cientista por isso nossa época está mais propensa ao desenvolvimento cientifico do que a Idade Média, como exemplo citarei um comentário de um dos meus professores "os gregos conheciam o potencial energético do vapor, então porque não houve a ‘Revolução Industrial’ na Idade Antiga? Simples os gregos tinham escravos", ou seja durante a Idade Antiga e Média simplesmente não havia necessidade de máquinas. A globalização (no meu ponto de vista) é um fato natural e não um fenômeno moderno.

Durante toda a monografia foi mostrados muitos dilemas morais e éticos onde os meio de comunicação foram apenas ferramentas nas mãos de lideres, por isso as telecomunicações não são más ou boas , mas dependem das pessoas pelas quais são controlados. Na verdade é um sonho que se realizou tanto para pessoas comuns como eu e vocês, quanto para grandes grupos políticos, financeiros e militares.

 

Bibliografia:

Comentários


Páginas relacionadas