Amigo Nerd.net

Conflito Interno nas Organizações - Estudo de Caso Volvo

Autor:
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Tema: Comportamento Humano nas Organizações

CONFLITO INTERNO NAS ORGANIZAÇÕES

CURITIBA

JUNHO / 2002


INTRODUÇÃO

Este trabalho tem o objetivo de auxiliar a maneira correta de resolver problemas de conflitos internos nas organizações, a partir deste serão tomadas decisões satisfatórias para todas as partes gerente e colaboradores em geral.

Breve História

A Cia é um grupo internacional voltado para equipamentos de transporte, com produção em mais de 20 países. Fundado na Suécia em 1927, o grupo tem cerca de 45 mil empregados e uma completa linha de produtos: Caminhões, ônibus, motores marítimos e industriais e equipamentos de construção, aeronáuticos e especiais, vendidos em mais de 130 países. Todas as áreas de negócios do grupo X cooperam entre si para oferecer a cada cliente a última palavra em tecnologia em cada área de atuação da marca.

Mesmo sendo uma companhia global, com produtos globais, os negócios e operações da empresa são, de modo geral, conduzidos localmente, pois cada cliente e cada mercado tem necessidades específicas. Além disso, o grupo acredita que o sucesso em âmbito local é a chave para continuar crescendo globalmente.

Por tudo isso, a Cia é hoje uma marca reconhecida e respeitada em todo o mundo, além de estar fortemente identificada com qualidade, segurança e cuidado com o meio ambiente.

Em termos de qualidade e segurança veicular, a Cia está consolidando sua liderança através de aprimoramentos contínuos e inovações tecnológicas. E para reduzir o impacto ambiental de todas as etapas do ciclo de vida de seus produtos.

Os resultados diretos da avançada tecnologia desenvolvida pela Cia estão em todas as partes, nas ruas e estradas, na água n e no ar, garantido melhor qualidade de vida as pessoas. Porque a Cia trabalha permanentemente, todos os dias, para assegurar qualidade superior a todos os seus produtos, desenvolver novos equipamentos de segurança e garantir o menor impacto possível sobre o meio ambiente.

Mas a Cia também se preocupa com o futuro. É por isso não se poupa esforços e investimentos para desenvolver novas tecnologias, como veículos conceito ECT – Environmental Concept Truck e ECB – Environmental Concept Bus, com motores híbridos e emissão zero de poluentes.

Um dos maiores objetivos da Cia é manter sua posição de líder mundial na produção de veículos e produtos relacionados ao transporte. Para atingir essa menta, decidiu se concentrar fortemente no que sabe fazer melhor: Criar mobilidade. Uma companhia cujo nome significa "Eu Rodo".

Valores Essenciais da Marca

"Veículos são feitos para transporta pessoas. Por, isso, o princípio básico para todo trabalho, do desenvolvimento à produção, é e deve ser a segurança"

Assar Gabrielsson e Gustaf Larson – Fundadores da Cia

Através de anos, a CIA participou ativamente na reestruturação dos diversos setores. No setor de automóveis, tem se verificado maior passividade. Tendo em vista que a Cia provavelmente passou a ser o maior fabricante independente do mundo, era necessário um proprietário forte para continuar o desenvolvimento de novos modelos. Por osso, a venda para Ford Foi certamente uma decisão estratégia inteligente.

Quando aos demais setores de atividade, a Cia também atuou como compradora de concorrentes de menor porte. Com isso, a empresa tem hoje instalações de produção em todas as regiões do mundo e as vendas se estendem por mais de 100 países.

A qualidade tem sido um princípio desde o inicio das atividades do Grupo X. Hoje,, esse princípio abrange tudo o que envolve produtos e serviços, superando as expectativas dos clientes.

Porque, para Cia, qualidade é a extensão do que um cliente quer, precisa e espera de um produto e de todos os serviços que a ele estão relacionados.

A Segurança tem sido uma das características mais significativas da marca ao longo da sua história, e uma das principais razões pela qual está entre as líderes mundiais no ramo do transportes. O objetivo da empresa é, primeiramente, prevenir acidente e, caso ocorram, reduzir ao mínimo as danos pessoais. Por isso, a Cia estimula a prática da direção segura e aprimora constantemente os recursos de segurança de seus veículos, através da realização dos mais rigorosos testes veicular. Na década de 50, foi criado, nos avançados laboratórios da Suécia, o cinto de segurança de três pontos, que passou a ser standart em todos os seus veículos. A Cia também foi a primeira industria automotiva a introduzir o air bag em caminhões, além de outros itens de segurança que caracterizam os veículos da marca.


ESTUDO DE CASO:

Situação

Situação de conflito na área de vendas de caminhões doméstico.

Este caso ocorreu no primeiro trimestre no ano 2002, numa multinacional. O gerente de vendas de caminhões fez uma reunião comercial denominada de semana dirigida. Onde são abordados assuntos diversos relacionados a área comercial de caminhões.

Necessariamente neste dia por foi discutido a meta de cada região com relação as vendas de veículos novos.

Caso fossem atingidas esta metas cada representante regional ganharia uma bonificação representativa no valor de R$ 1.000. Este valor não seria dado em dinheiro. Eles iriam comprar ou pagar alguma conta no valor máximo de R$ 1.000 e pedir reembolso para a empresa. Desta forma ficou determinado em reunião comercial.

Final de mês na companhia, com liderança total no mercado.

Então, como estava proposto pelo gerente de vendas, os representantes regionais estavam solicitando suas respectivas bonificações tão esperadas. Foi então que o departamento de Recursos Humanos entra em ação, recusando-se autorizar o pagamento de tal bonificação.

O departamento de Recursos Humanos justificou que não foi informado pelo gerente de vendas que ele pretendia oferecer esta bonificação a seus representantes regionais como incentivo. Desta forma não tendo previsto este gasto no orçamento do departamento de vendas, assim não podendo ofertar esta bonificação no prazo previsto pelo gerente.


PROPOSTAS DE SOLUÇÕES

Comunicação ou participação do departamento de recursos Humanos nas decisões tomadas nas reuniões comercias. Com pedido de aval deste departamento , para que esta bonificação oferecida, não afete diretamente no orçamento de departamento de vendas da empresa.

Feedback com os representantes de vendas, para minimizar a situação constrangedora do não recebimento do bônus prometido.

Definir Conflito

Podemos definir o conflito, como um processo que começa quando uma parte percebe que uma outra parte afetou ou está perto de afetar, negativamente algo pelo qual a primeira parte se interessa.

Processo de Conflito

O processo do conflito pode ser visto como abrangendo cinco estágios: oposição ou incompatibilidade potencial, cognição e personalização, intenções, comportamento e resultados. O processo está delimitado.

Estágio I: Oposição ou Incompatibilidade de Potencial

O primeiro passo no processo de conflito é parecença de condições criam oportunidades para o conflito surgir. Elas não precisam levar diretamente ao conflito, mas uma dessas condições é necessária se o conflito tiver que surgir. Em prol da simplicidade, essas condições (que podem também ser visitadas como causas ou fontes de conflito) Foram condensadas em três categorias gerais: variáveis de combinação, estrutura e pessoal.

COMUNICAÇÃO

Neste caso apresentado pelo grupo, mostra claramente que não houve muita comunicação.

Que a iniciativa de bonificar os representante regionais por parte do gerente de vendas foi muito boa. Mas, ele esqueceu de comunicar sua iniciativa ao departamento de recursos humanos, deixando assim grandes falhas na comunicam "ruídos" nos canais de comunicação.

Uma revisão de pesquisa sugere que dificuldades semânticas, troca insuficiente de informações e ruído no canal de comunicação são todos barreiras para a comunicação e condições antecedentes em potencial para o conflito. Especialmente, as evidências demonstram que dificuldades semânticas surgem como resultado de diferença em treinamento, percepções seletiva e informação inadequada sobre os outros.

Informação demais ou de menos pode construir a base para o conflito. Além disso, o canal escolhido para comunicar-se pode ter uma influência em estimular a oposição. O processo de filtragem que ocorre conforme a informação é passada entre membros e a divergências de comunicações de canais formais ou previamente estabelecidos oferecem oportunidades potenciais para o surgimento de conflito.

Segundo Barnard:

(...)" a sobrevivência de uma organização depende da manutenção de um equilíbrio de tipo complexo, num ambiente, em permanente flutuação, de materiais físicos, biológicos e sociais, elementos e forças que clamam pelo reajustamento de processos internos na organização." (Barnard, 1971: p. 38)

O indivíduo deveria ser levado a cooperar para evitar ou minimizar os conflitos organizacionais.

Definição de Negociação

Definimos como negociação um processo no qual duas ou mais partes trocam bens ou serviços e tenham concordar sobre a taxa de troca entre eles.

Negociação é o processo de alcançar objetivos através de um acordo nas situações em que existam interesses comuns e divergências de idéias, interesses e posições. Importa em comunicação, processo decisório compartilhado entre as partes e solução de conflitos.

Fonte : Boletim Insight


CONCLUSÃO

O presente trabalho começa por definir conflito para passar depois à definição de negociação, já que esta constitui um dos meios mais relevantes de resolução de conflitos. Destaca-se a importância da questão da eficácia negocial aos mais variados domínios, nomeadamente ao nível organizacional, dando especial relevo ao modelo estratégico de negociação de Mastenbroek (1987, 89), distinguindo-se os vários tipos de atividades complexas que o negociador deverá empreender para alcançar acordos eficazes. Finalmente, neste trabalho foi abordado temas do cotidiano de trabalho de uma grande multinacional, relatando a dificuldade de um gerente de vendas em definir a melhor forma para negociação com departamento de recursos humanos para dar uma bonificação aos representantes regionais de vendas, visto que este não tinha orçamento para disponibilizar esta bonificação.


Referencias Bibliográficas

BARNARD, Chester As funções do executivo. São Paulo: Atlas, 1971.

CARAVANTES, Geraldo Ronchetti Teoria geral da administração: pensando & fazendo. Porto

Alegre: AGE, 1998.

Histórico da companhia: http://violin.volvo.se/ [acesso 17/06/2002 ]

Informativo para visitante – departamento de comunicação coorporativa

Comentários


Páginas relacionadas