Índice de Liquidez e Endividamento

Autor:
Instituição: UNIP
Tema: Contabilidade

Índice de Liquidez e Endividamento


ÍNDICE DE LIQUIDEZ


Liquidez Corrente

Este indicador tem por objetivo verificar se a empresa tem capacidade de efetuar seus pagamentos a curto prazo. Para se calcular a liquidez corrente toma-se o ativo circulante e dividi-se pelo passivo circulante. Entenda-se por circulante os valores a receber e a pagar de curto prazo (Até 360 dias).

Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Nota: Para a razão encontrada utiliza-se a notação " : 1,00 ", que significa que para cada um ( : 1,00) de dívidas a empresa terá "x" para cobrir este passivo. Esta notação é válida para todos os índices de liquidez.


Liquidez Seca

Este indicador é semelhante ao anterior, a diferença é que neste o estoque é excluído do calculo do ativo. Por isso o nome "Seca". Desta forma o índice será menor que o índice anterior.

Liquidez Seca = (Ativo Circulante-Estoques) / Passivo Circulante


Liquidez Imediata.

A liquidez imediata, considera apenas as disponibilidades em dinheiro da empresa para fazer frente ao Passivo Circulante.

 Liquidez Imediata = Disponibilidades / Passivo Circulante


Liquidez Geral

Esse índice também objetiva verificar a capacidade da empresa em efetuar seus pagamentos, só que agora compara a capacidade geral de pagamentos a curto e a longo prazo.

 Liquidez Geral = Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo / Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo


ENDIVIDAMENTO

Endividamento "Estrutura de Capital"

O endividamento relacionam as varias fontes de fundos entre si, procurando retratar a posição do capital próprio com relação ao capital de terceiros. São quocientes de muita importância, pois indicam a relação de dependência da empresa com relação a Capital de Terceiros .

a) Quociente de participação de Capitais de Terceiros Sobre os Recursos Totais = Exigível total/Exigível Total + Patrimônio Liquido

*Exigível Total = Passivo Circulante + Passivo Exigível a Longo Prazo.

Expressa o quociente a porcentagem que o endividamento representa sobre os fundo totais. Também significa qual a porcentagem do ativo total financiada com recursos de terceiros. No longo prazo, a porcentagem de capitais de terceiros sobre os fundos totais não poderia ser muito grande, pois isto iria progressivamente aumentando as despesas financeiras, deteriorando a posição de rentabilidade da empresa.

Entretanto, muito ira depender da taxa de retorno ganha pelo giro no ativo dos recuso tomado por empréstimo, quando comparado com a taxa de despesas financeiras sobre o endividamento.

Se a taxa de despesas financeiras sobre o endividamento médio se mantiver menor que a taxa de retorno obtida pelo uso, no giro operacional dos fundos obtidos por empréstimo, a participação de capitais de terceiros será benéfica para a empresa, desde que isto não determine a situação de liquidez insustentável em determinados dias, semanas ou meses do ano.

b) Quociente de Capitais de Terceiros/ Capitais Próprios = Exigível total/Patrimônio Liquido

E outra forma de encarar a dependência de recursos de terceiros. Se o quociente durante vários anos, fosse consistente e acentuadamente maior que 1, denotaria uma dependência exagerada de recursos de terceiros. Este quociente e um dos mais utilizados para retratar o posicionamento das empresas com relação aos capitais de terceiros . Grande parte das empresas que vão a falência apresenta, durante um período relativamente longo, altos quocientes de Capitais de Terceiros/ Capitais Próprios. Isto não significa que uma empresa com um alto quociente necessariamente ira a falência, mas todas ou quase todas as empresas que vão a falência apresentam esta sintoma. Daí o cuidado que deve ser tomado com relação a projeção de captação de recursos quando vislumbramos uma necessidade ou uma oportunidade expansão. Deverão ser, na medida do possível, projetados os efeitos (Sobre os Demonstrativos futuros) das políticas alternativas de captação de recursos próprios (Capitais de risco) e de terceiros ou uma adequada combinação de ambos, e as vezes, e a melhor alternativa.

c) Quociente de participação do Exigível a curto Prazo Sobre O Exigível Total = Passivo Circulante/Passivo Exigível Total

E interessante verificar, do endividamento total qual a parcela que vence no curto prazo. Esse quociente pode fornecer algumas indicações sobre como a entidade objeto de analise de credito esta financiando sua expansão (Se estiver se expandindo). A expansão deveria ser financiada por endividamento de longo prazo. A evolução desse quociente no tempo (como de resto de todos os demais quocientes) e mais importante do que o nível atingido em determinado exercício.

Nesse, como em todos os demais quocientes a comparação com as medias do setor em que se situar a entidade objeto de analise e muito importante.

Comentários