Amigo Nerd.net

Método de Custeio por Absorção

Autor:
Instituição:
Tema: Custeio por Absorção


CUSTEIO POR ABSORÇÃO - DETERMINAÇÃO


DEFINIÇÃO


Custeio por Absorção é um processo de apuração de custos, cujo objetivo é ratear todos os seus elementos (fixos ou variáveis) em cada fase da produção. Logo um custo é absorvido quando for atribuído a um produto ou unidade de produção, assim cada unidade ou produto receberá sua parcela no custo até que o valor aplicado seja totalmente absorvido pelo Custo dos Produtos Vendidos ou pelos Estoques Finais.

Nesse método de custeio, todos os custos de produção são apropriados aos produtos do período.


PRINCÍPIO


O custo por absorção parte do princípio de que os custos e as despesas indiretas fixas são adicionadas aos estoques e ao custo dos produtos vendidos.


FINALIDADE

O custeamento por absorção tem por finalidade auxiliar a gerência quanto à rentabilidade, bem como em processos da avaliação patrimonial, apresentando uma visão para o controle da absorção dos custos da capacidade ociosa.


CARACTERÍSTICAS DO CUSTEIO POR ABSORÇÃO

1. O Custeio por Absorção atende ao Princípio da Competência dos exercícios, tendo em vista que os Custos apropriados aos produtos só são lançados no resultado quando estes produtos são vendidos;

2. O Custeio por Absorção é aceito pelo Fisco, tendo em vista que os Custos de Produção são transferidos ao Resultado na proporção em que são vendidos.

3. O Custeio por Absorção tem como inconveniente a arbitrariedade do critério de rateio escolhido. Dependendo do critério de rateio, como, por exemplo, valor da Mão-de-Obra utilizada na produção ou valor do Material Direto utilizado em cada produto, os custos de cada produto serão diferentes.


FISCO

O Método de Custeio por Absorção torna-se obrigatório na elaboração dos demonstrativos financeiros, para fins fiscais.

Desta maneira vemos que o Fisco entende que todos os custos, fixos e variáveis, devem integrar o custo de produção, e isto só é possível se fizermos o rateio de custos, ou seja, devemos utilizar o Método de Custeio por Absorção.

Com isto, talvez possa-se concluir que o Fisco esteja procurando de alguma maneira garantir que os impostos incidentes sobre o lucro sejam arrecadados em um intervalo de tempo mais breve possível, e que esta seja a causa de sua decisão de obrigar a adoção deste método de custeio.

O custeio por absorção é o método mais conhecido e mais utilizado no Brasil, pois além de ser derivado dos princípios de contabilidade é obrigatório, de acordo com a Lei.


OUTROS INCONVENIENTES

O grande inconveniente na adoção do custeio por absorção diz respeito aos custos fixos.

Os custos fixos são necessários para que a indústria esteja em condições de produzir. Dessa forma, o aluguel, o imposto predial e o seguro da fábrica, por exemplo, são gastos realizados para que a indústria adquira capacidade de produção. Todavia, são custos incorridos independentemente da quantidade que venha a ser produzida (até certo limite), já que não sofrem variações em razão do volume de produção.

Outro inconveniente é o fato de os custos fixos unitários variarem de acordo com as quantidades produzidas (em razão inversa). Com o aumento do volume de produção, ocorre a redução do custo fixo unitário.


VANTAGENS E DESVANTAGENS

Vantagens do custeio por absorção:


Desvantagens do custeio por absorção:


APURAÇÃO

Deve-se obedecer a um esquema de apropriação dos custos nesta modalidade de custeio, como sendo um facilitador na apuração dos mesmos. São eles:

1. Separação dos custos e despesas.
2. Apropriação dos custos diretos e indiretos à produção realizada no período.
3. Apuração dos custos da produção acabada.
4. Apuração do custo dos produtos vendidos.
5. Apuração do resultado.


IMPORTÂNCIA DA DISTINÇÃO ENTRE CUSTO E DESPESA

A distinção principal no custeio por absorção é entre custos e despesas. A separação é importante porque as despesas são jogadas imediatamente contra o resultado do período, enquanto somente os custos relativos aos produtos vendidos terão idêntico tratamento. Os custos relativos aos produtos em elaboração e aos produtos acabados que não tenham sido vendidos estarão ativados nos estoques desses produtos.

Um custo lançado como despesa ou uma despesa lançada como custo provoca distorções na apuração do resultado do exercício e consequentemente na avaliação dos estoques existentes na data do balanço.


CONCLUSÃO

O uso do sistema de custeio por absorção pela maioria das empresas tem seu fundamento pela imposição da legislação fiscal e dos princípios de contabilidade, isto possivelmente se explica por que, a maioria das empresas utilizem esse sistema. É mais próprio para os relatórios externos, a exemplo dos relatórios para acionistas, entidades financeiras e governamental.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

VICECONTI, Paulo Eduardo V., NEVES, Silvéiro das. Contabilidade de Custos. 7ª ed. São Paulo: Editora Frase.

ATKINSON, Anthony A. BANKER, Rajiv D. KAPLAN, Robert S. YOUNG, S.Mark. Tradução: André O. M. C. Castro. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Ed. Atlas, 2000.

HORNGREN, Charles T. FOSTER, George. DATAR, Srikant M. Trad. José Luiz Paravato. Contabilidade de Custos. Rio de Janeiro, RJ: Ed. Livros Técnicos e Científicos Editora S. A.., 2000.

KOLIVER, Olívio. Princípios Gerais de Contabilidade de Custos. Apostila do Mestrado em Contabilidade da Fundação Visconde de Cairu, Salvador-Bahia. 2000.

LEONE, George Sebastião Guerra. Curso de Contabilidade de Custos.1ª ed. São Paulo: Atlas, 1997.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2000.

Comentários


Páginas relacionadas