Plano de Estágio Supervisionado

Autor:
Instituição: FIMCA
Tema: Plano de Estágio Supervisionado

Plano de Estágio Supervisionado

FIMCA
2010

 

 

 

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO
2 JUSTIFICATIVA
3 OBJETIVOS
3.1 OBJETIVO GERAL
3.2 OBJETIVO ESPECÍFICO
4 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
5 AMBIENTE DE ESTÁGIO
6 ORGANOGRAMA
7 METODOLOGIA
8 CRONOGRAMA
9 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

 

1 INTRODUÇÃO

A administração é uma ciência que faz parte da sociedade para desenvolver suas mudanças e realizações para um futuro próximo.

Com isso, poderíamos dizer que a administração seria e é uma ferramenta fundamental para qualquer organização seja ela particular pública e militar, com isso poderíamos e comprovamos que para o crescimento de qualquer organização é necessário ter o conhecimento dos princípios da administração.

Com o crescimento da economia brasileira, a organização procura qualificações na área administrativa que tenha os dois conhecimentos a teoria e a prática, para não perderem tempo em desenvolver no profissional a curiosidade de aprender um ou outro. As empresas de grandes porte tentam almejar seu crescimento em tempo recordes com profissionais dedicados a vencer.

Analisando o mercado mundial, as organizações necessitam de atitudes lógicas para um crescimento em curto prazo, reduzindo custos, expandindo seu crescimento no âmbito, atual e para isso necessita de administradores polivalentes que não fiquem acomodados e mostres a grande vantagem de se administra as grandes organizações, saber decifrar os precipícios e por em pratica as necessidade da empresa não e para qualquer um, saber planejar, organizar, dirigir, controlar é anos de conhecimentos que por momentos difíceis na economia se não tiver punhos forte tudo que foi criado poder via ao chão.

Por isso, com tantos desenvolvimentos tecnológicos, pode-se agradece a desenvoltura de percussores da administração como Taylor, Chiavenato e outros mais que por sim, afirma que, o que passa-se hoje se faz em uma boa ou má administração, ela que é a chave para os bons negócios, de qualquer parte do mundo e que faz parte também do nosso cotidiano.

O que para alguns, não significa nada para muitos e o algo primordial, ela se preocupa com os ensinamentos profissionais e oportunidade para o mercado que se este tão necessitado por membros que amem essa ciência, mesmo que ele já seja um profissional, seja ele médico engenheiro, advogado e etc são sempre necessários ter como peso curricular a administração, para seu próprio crescimento onde quer que ele atue.

 

2 JUSTIFICATIVA

A importância deste estágio supervisionado, no setor de produção é poder conhecer com mais entendimento o valor da administração nesse setor que, para muitos não se tem importância mas que um bom administrador precisar conhecer com bastante cautela, afinal todo seu investimento está em produtos, sejam eles quais forem.

E poder vivenciar esse estudo na prática, para o acadêmico será um aprendizado, prazeroso desde que aperfeiçoe seus conhecimentos a fundo, com teorias e práticas. E estar envolvido com o estágio supervisionado na organização lhe tratará futuramente bons resultados para seu currículo profissional.

Como se faz necessário o estágio curricular, até porquê rege uma lei federal do próprio MEC, que tem seu fundamento na Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. Onde exige do acadêmico essa grade em sua formação, para não sair às despreparado para o mercado de trabalho, tendo como arma somente a teoria vivenciada durante seu tempo de estudo, conhecer a prática aliada a teoria, acredita-se que profissionais serão disputados com enorme sede de crescimento pelas organizações empresariais que hoje não se abstém em acreditar nos novos filhos da administração e lhe entregando um poder ao qual seus conhecimentos terão que ser bem além que bons anos de estudos.

 

3 OBJETIVOS

 

3.1 Objetivo Geral

Conhecer o principal fundamento da administração em a gestão pública em organizar e controlar estoque do almoxarifado.

 

3.2 Objetivo Específico

 Compreender o poder de compra para abastecimento do estoque.
 Verificar como se conduz o remanejamento desses produtos para as unidades de saúde.
 Analisar os armazenamento quanto ás normas de segurança do produto
 Investigar como se procede ao manuseio desses produtos quanto seu grau de periculosidade.

 

4 FUNDAMENTAÇÃO TÓRICA

A gestão de estoque na administração pública ficou muito tempo colocado em segundo plano em termos de preocupações dos gestores, hoje essa realidade esta muito diferente, sendo ligado diretamente ao planejamento e controle de qualquer setor sendo público ou privado.

De acordo com (Marco Aurélio, p.24) a administração de estoques deverá conciliar da melhor maneira os objetivos dos três departamentos (Departamento financeiro, compras e produção), sem prejudicar a operacionalidade da empresa.

Para isso, há um planejamento de compra, visando à necessidade do reabastecimento. O almoxarifado precisa estar apto à receber o novos materiais, ou, transportado diretamente do fornecedor para as unidades de saúde, onde já existe locais e profissionais habilitados, a receberem esses produtos dos quais vão em menores quantidades de manuseio imediato.

Atualmente a Secretaria juntamente com as comissão de compra , devem por total direito analisar se há conforto para o material e para os servidores do almoxarifado.

Os fornecedores que abastecem o almoxarifado são escolhidos em processo licitatório e tomados de preço.

“A seleção de fornecedores é considerada igualmente ponto-chave do processo de compras, a potencialidade do fornecedor deve ser verificada, assim como suas instalações e seus produtos, e isso é importante”.(Dias, Marco Aurélio P. p. 260).

A Secretaria Municipal de Saúde – Semusa também trabalha com um planejamento sazonal, de festas como carnaval, arraiais, fora de época e outros que acontecem anualmente.

Segundo (Nigel Slack, Alan Harissison, et al p.331), dirigi-se uma empresa que utiliza previsões baseada no passado pode ser comparado a dirigir um carro olhando apenas para o espelho retrovisor.

Cada atividade do almoxarifado apresenta um fluxograma típico, o que não quer dizer estático através dos anos. O layout sofre, pois, alterações periódicas que influem no cotidiano do almoxarifado. Esse instrumento identifica os riscos que compõe cada área do setor, auxiliando quando necessário o uso de EPI’S na separação dos materiais, para que não haja contaminação, radiação, cortes, perfuração enfim evitando acidentes de trabalho.

“ O layout, deve levar em conta as modificações que devem ser feitas para atenuar o efeito do ruídos das temperaturas anormais, presença de agentes agressivos, enfim, todos os fatores que podem afetar o rendimento de trabalho humano.” (Dias, Marco Aurélio P. p. 138).

O processo de compra, armazenagem, separação e distribuição da seguinte forma:

 Requisição de pedido de compra
 Processo de armazenagem
 Requisição de pedido de distribuição
 Separação e entrega.

A requisição de compra é feita pelo diretor do setor almoxarifado, ao setor compra do abastecimento da secretaria. Tais reaquisições contêm a descrição, e a quantidade dos produtos solicitados, em baixo nível de estoque. É também competência do almoxarifado acompanhar o processo licitatório da compra desses materiais.

O recebimento de material dos fornecedores pelo almoxarifado segue alguns critérios:

 Empenho
 Nota fiscal
 Produto

O empenho é onde se especifica o produto licitado, com quantidade, marca do produto, lote, validade, fabricante, descrição do produto, com valores e dados da nota fiscal com prazo de pagamento de acordo.

Os dados da nota fiscal devem estar de acordo com o empenho, precisa conter o timbre da empresa, assim como os dados da empresa fornecedora e frete.

O produto ao ser entregue ao destinatário, deve ser conferido ao responsável entres as parte interessadas, o mesmo é conferida item a item sendo que nenhum volume deverá conter violação. No caso de violação tanto de material quanto de documentação o material é devolvido perante relatório escrito no corpo externo da nota fiscal e conhecimento de entrega, identificando o recusa do produto. Após o recebimento do produto fica liberado para armazenagem.

O processo de armazenagem acontece de uma forma operacional obedecendo a normas e critérios da própria instituição. A estocagem desses materiais deve acontecer de modo a possibilitar um acesso rápido e preciso facilitando a movimentação e identificação dos materiais. Os mesmo devem ser conservados em embalagens originais, abertos somente quando houver necessidade de fornecimento parcelado.

De acordo (Marco Aurélio, p.136) explica que as características físicas e químicas do material desempenham também papel muito importante na escolha dos métodos para manuseio e estocagem.

A requisição de pedido de distribuição ou pedido de material e feita pelo diretor da unidade de saúde, deve conter um mapa especificando o material existente, estimativa e complemento de saldo, justificando assim o pedido. O setor trabalha com a estocagem de materiais de limpeza e conservação, emergência hospitalar e material de expediente, abastecimento de água mineral e gás.

A separação e entrega desses materiais são feitas exclusivamente por servidores do setor almoxarife e entregue nas unidades por servidores responsáveis, mediante conferência e assinatura de recebimento.

Mas para que essas regras sejam seguidas, é necessário se avaliar o ambiente físico, ao qual não pode ser esquecido, de forma que lhes dêem conforto para o armanezamento dos materiais. Deverá ser diagnosticado por pessoas que possam avaliar o local e repassar um laudo de segurança em todos os aspectos, que nesse caso será os bombeiros, engenheiro de construção da própria Secretaria avaliando-se à estrutura física, elétrica, hidráulica, condições de climatização para o produto, extintores de incêndio, saídas de emergência, iluminação adequada, cobertura adequada evitando o excesso de calor, cobertura para trânsito de pessoas e de materiais, sinalizações conforme normas da ABNT em segurança do trabalho, já que poderá haver movimentação de empilhadeiras, canalizações de águas de esgoto e fluviais, abastecimento de águas para uso próprio, pisos com total aderência, rampas de acesso aos deficientes.

De acordo com (GARCIA, Petrônio e RENATO Paulo p. 243), o importante é que essa documentação deverá servir de base para a decisão de reformas mais amplas ou de mudança de local de produção e armazenagem. Tendo em vista que o local se encontrará armazenado produtos e maquinas de alto poder de radiação, que deverão ter um acesso ventilado seguro com manuseios e maquinas adequada para transporte. Faz-se necessário uma boa localização de embarque e desembarque com sinalizações nesse ambiente aonde não venha atrapalhar o trânsito e possa trazer incomodo, para isso é necessário ter um planejamento de recebimento com horas e dias da semana marcado para não causar transtorno à população , após analisar tudo isso fica de total liberdade para agir sua função de almoxarifado.

Priorizar a importância do almoxarifado como todo o ambiente de trabalho deve-se ser acompanhado anualmente por profissionais que mantenha a estrutura em boa conservação e sempre ter em mãos laudos de autorização de funcionamento, para que não ocorra o inesperado acidentes de trabalho.

Após todo esse tramite, da estrutura física deverá ser observado a estocagem desses materiais, que dependendo do número de volumes também devem ser estudados ao local de estocagem, sabe-se que os produtos de embalagens frágeis na maioria das vezes não suportam pesos excessivos, de tal maneira que o responsável pela armazenagem deverá ter total conhecimento no posicionamento dos produtos em paletes e gaiolas. Esse estudo que de imediato ao desembarque do produto tende a obedecer a normas do fabricante que muitas das vezes já contém na própria embalagem o que trará para à organização um prejuízo menor em avarias e maior controle de sua estrutura física.

 

5 AMBIENTE DE ESTÁGIO

Prefeitura Municipal de Porto velho – Rondônia foi criada em 02 de Outubro de 1914, por imigrantes vindo de estados do norte e nordeste, e de outros países; para a construção da Ferrovia Estrada de Ferro Madeira Mamoré, que, hoje é a um patrimônio histórico, às margens direita do rio Madeira afluente do rio Amazonas. Tendo como sua capital Porto Velho, onde os historiadores afirmam que se este nome se deu em homenagem ao um senhor por nome Pimentel onde todos o chamavam de Velho Pimentel, o mesmo morava no lugar onde atracavam-se os navios conhecido como porto do Velho daí o nome Porto Velho .

Com o crescimento da capital, e como qualquer outro município com um quantitativo de habitantes imigrantes e filhos da terra, a Prefeitura de Municipal de Porto Velho, situada na Av. Dom Pedro segundo s/nº desmembrou-se em secretárias para que pudessem responder pelos seus processos administrativos, sendo umas das principais na visão da sociedade a Secretaria Municipal da Saúde – Semusa que é um ponto fundamental do município, que atende uma grande demanda de pacientes, contudo a necessidade de um almoxarifado com subdivisões para atender a maternidade municipal, o SAMU , as unidades de saúde, as policlínicas e o baixo madeira.

Semusa – Secretaria Municipal de Saúde do Município de Porto Velho – RO, esta sediada na Avenida Calama, 4008, bairro Embratel, fundada junto com a Prefeitura Municipal de Porto Velho dia 02 de Outubro de 1914, tendo como prefeito atual senhor Roberto Sobrinho, e secretário municipal da Secretaria Municipal de Saúde – Semusa o senhor Willames Pimentel

O almoxarifado desta secretaria tem um estoque elevado, com materiais penso farmácia, material permanente e de higiene para abastecer toda suas policlínicas e unidades de apoio, tendo em vista que o hospital da capital limitou seus paciente, com isso se fez necessário expansão de compras de materiais, com profissionais dedicados, para não atrasar o atendimento à sociedade.

A Secretaria Municipal de Saúde – Semusa, tem um amplo estoque físico para atender a demanda das unidades de saúde, e os profissionais que trabalham neste setor são periodicamente capacitados já que os mesmos manipulam diariamente diversos tipos de materiais desde o inflamável até os descartáveis, dando assim um suporte eficiente a área da saúde do município com equipamentos de altíssima qualidade, não deixando a desejar para o estado.

 

6 ORGANOGRAMA

 

organograma



7 METODOLOGIA

A metodologia usada será de observação e participação para o desenvolvimento do estágio supervisionado, seguindo etapas do processo de conhecimento do local escolhido, almoxarifado da Secretaria Municipal de Saúde – Semusa. Com o desenvolvimento do estágio, pretende-se atingir os objetivos já mencionados nesse plano.

A referência bibliográfica proporciona respaldo para que se possa estar sendo desenvolvido e apresentado um trabalho conforme normas da ABNT, possibilitando assim uma execução do processo em completo.

Todo esse processo e expansão de conhecimento trarão para o acadêmico um contato direto as organizações e aos métodos tomados principalmente ao referido estoque, aos quais algumas organizações não acompanham de perto seu poder de compra, dando atenção nas sazonalidades, mesmo ocorrendo na área da saúde onde esse plano de estágio será desenvolvido analisado em acompanhamento com um orientador.

Participar desse desafio, e poder até mesmo, criar novas oportunidades nesse setor administrativo em relação a compra e finalizando em estoque, isso trará total confiança, no mercado de compra e armanezamento.

O acadêmico que não se sujeitar a encarar esse contato físico de aprender e a liderar situações que em alguns momentos, fazem parte do seu dia-a-dia. Ficará bem confuso em por sua teoria em prática sem ter visto a verdadeira realidade das organizações até mesmo uma gestão pública, tendo em vista que esse setor é muito burocrático, nada se faz sem antes uma um planejamento de compras analisando o fornecedor com suas prerrogativas entender que muitos não participam de alguns pregões. A gestão publica é muito criteriosa neste assunto em licitação, sempre procurando todo um histórico da empresa para ser fiel em seu comprimento com o serviço público, afinal neste setor da saúde estará sempre mantendo o estoque com materiais que ajudaram muito a sociedade.

O administrador que não acompanha o crescimento das organizações e saber desenvolver um plano de trabalho onde abrange toda a organização e principalmente o estoque levará a falência e todo um império que muitas das vezes levou tempo para construir.

 

8 CRONOGRAMA

 

tabela

 

9 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

• NETO, Alvim Antônio de Oliveira. Introdução de Engenharia: Editora São Paulo: Visual Books, 2006.
• DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: uma abordagem logística: Editora São Paulo: Atlas, 1993.
• SLACK, Nigel CHAMBERS, Stuart... et al; Administração da Produção: Editora São Paulo: Atlas, 1999.
• ALT, Paulo Renato Campos. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais, Editora São Paulo: Saraiva , 2002
• CORRÊA, Henrique L.;CORRÊA, Carlos A. Administração de Produção e Operações: manufatura e serviços: uma abordagem estratégica Editora São Paulo: Atlas, 2007

Comentários