Plano de negocios de uma empresa de confecção

Autor:
Instituição: UNISAL
Tema: Plano de negócios

Plano de Negócios - Visual Vest Confecções LTDA. – ME.

UNISAL
2008

 

 

 

Plano apresentado como exigência parcial para obtenção de aprovação das disciplinas integradas do 3º ano, do curso de administração do Centro UNISAL, unidade Americana.

 

Sumário

1 Sumário Executivo:
1.1 Propósito da empresa:
1.2 Visão:
1.3 Missão:
1.4 Valores:
1.5 Princípios:
1.6 Abrangência:
2 Localização e Infra-estrutura do Imóvel:
3 Produtos
3.1 Portfólio de produtos
4 Análise Setorial
4.1 Cenário brasileiro
4.2 As transformações do setor
5 Planejamento de Marketing
5.1 Segmento de atuação no mercado
5.2 Comportamento do consumidor (público-alvo)
5.3 Estratégia de Preço:
5.4 Programa de Promoção
5.5 Estratégia de Vendas
5.6 Previsão de Vendas
6 Planejamento de Operações
6.1 Sistema de Transformação
6.2 Critérios competitivos
6.3 Capacidade
6.4 Layout
7 Planejamento de Logística
7.1 Logística de suprimentos
7.1.1 Administração de materiais
7.1.2 Compras
7.1.3 Armazenagem matéria prima
7.2 Logística Interna
7.3 Logística externa
7.3.1 Layout do Processo Logístico
8 Planejamento de Sistemas de Informação
8.1 Hardware
8.2 Software
8.3 Site institucional
8.4 Segurança da informação
8.4.1 Senhas
8.4.2 Backups
8.4.3 Investimento em tecnologia da informação
9 Estrutura Organizacional
9.1 Organograma Funcional Visual Vest
9.2 Descrição de cargos
9.3 Planejamento de cargos e salários
9.4 Planilha com salários
9.5 Política de recrutamento e seleção
9.6 Assessorias externas
10 Análise Estratégica
10.1 Posicionamento estratégico
10.1.1 Analise de Swot
10.1.2 Pontos fortes
10.1.3 Pontos fracos
10.1.4 Oportunidades
10.1.5 Ameaças
10.2 Análise de portfólio
10.3 Estratégia
10.4 Objetivos e metas
10.5 Balanced scorecard (BSC)
10.6 Modelo de Gestão
11 Planejamento financeiro e orçamentário
11.1 Investimentos iniciais
11.2 Plano econômico
11.3 Plano de marketing e vendas
11.4 Plano de produção materiais e logística
11.5 Plano de recursos humanos
11.6 Plano de informática
11.7 Plano de despesas gerais administrativas e de vendas
11.8 Fluxo de caixa, DRE e Balanço patrimonial

 


1 Sumário Executivo

 

1.1 Propósito da empresa:

Atender a necessidade básica da sociedade visando geração de empregos com responsabilidade social, treinando e preparando mão de obra qualificada buscando fornecer ao mercado consumidor produtos com padrão de qualidade em nível de excelência, devidamente norteados por princípios éticos e morais.

 

1.2 Visão:

Ser referência regional no setor de confecção.

 

1.3 Missão:

Atender as expectativas dos clientes oferecendo produtos dentro dos mais rígidos padrões de qualidade, inovando e buscando aperfeiçoamento contínuo.

 

1.4 Valores:

Ética, profissionalismo, comprometimento com o meio ambiente e responsabilidade social.

 

1.5 Princípios:

Honestidade, competência e comprometimento.

 

1.6 Abrangência:

A empresa devera atuar no mercado atacadista focando publico consumidor infanto-juvenil e adulto masculino, dentro de um perímetro regional abrangendo quatro municípios do interior do estado de São Paulo: Americana, Santa Bárbara D’Oeste, Nova Odessa e Sumaré, que, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), juntos somam aproximadamente 662.000 habitantes. A região conta ainda com franco apoio das prefeituras que vem incentivando a vinda de novas empresas para o Pólo Têxtil promovendo incentivos fiscais.

 

#1afigura



Figura 1: mapa da região abrangida

 

2 Localização e Infra-estrutura do Imóvel:

A Visual Vest confecções terá sua indústria instalada em Americana, na Rua Eugênio Bertini nº 800, Jardim São Luiz.

Para a escolha do local foram observados os seguintes aspectos:

• A cidade de americana sedia o Pólo Tecnológico da Indústria Têxtil e de Confecção (Pólo Tec Tex), que auxilia as empresas da região para a administração sustentável do empreendimento, a capacitação de pessoal, a atração e aproveitamento de oportunidades de negócios, também em sua gestão;
• Facilidade para escoamento de produtos acabados e recepção de matéria prima e insumos diretamente relacionados à produção, devido à proximidade do fornecedor e dos clientes;
• Custo mensal com locação de acordo com as características do empreendimento.

O tamanho do imóvel a ser locado é de 700 metros quadrados a ser utilizado de acordo com o layout da empresa.

 

3 Produtos

 

3.1 Portfólio de produtos

 

tabela

 

Figura 2: Portifólio de produtos da empresa Visual Vest

Cada produto será confeccionado em três cores por modelo. Devido à sazonalidade alguns produtos só serão fabricados em determinadas estações, como é o caso da regata e da camiseta de manga longa.

A linha infantil terá seus produtos confeccionados nos tamanhos 1, 2, 3, 4, 6.

A linha juvenil terá seus produtos confeccionados nos tamanhos 8, 10, 12, 14 e 16.

A linha adulto terá seus produtos confeccionados nos tamanhos P, M, G, GG.

 

4 Análise Setorial

 

4.1 Cenário brasileiro

O setor têxtil brasileiro obteve faturamento da ordem de US$ 26,5 bilhões em 2005. O Brasil é um dos poucos países em desenvolvimento que possuem todas as etapas de produção bem desenvolvidas.

Ainda concentrada regionalmente, a produção é bastante fragmentada em número de empresas. As de grande porte respondem por apenas 16% da produção e as pequenas e médias ficam com 66%. As microempresas respondem pelos demais 8%%. A cadeia gera 1,6 milhão de empregos. A maior parte deles, 71%, é gerada nas empresas de pequeno porte. As microempresas respondem por 8% dos postos e as de grande porte detêm os demais 21%.

Em 2004, havia 3.847 empresas no setor têxtil e 16.531 atuando especificamente na confecção.

O segmento de confecção é o que reúne o maior número de empresas. A maior parte da produção nacional está concentrada nas regiões Sul e Sudeste, que juntas reúnem 86% do total. Apesar disso, a participação das empresas da região Nordeste, de 12% em 2004, tem se mostrado crescente.

No segmento de vestuário, cerca de 43% das vendas nacionais são da linha de produtos classificada como “lazer”, que engloba peças de casual “wear”, como jeans, camisetas, bermudas e shorts. A linha social (ternos, “tailleurs”, por exemplo) fica com 15% e a esportiva, com outros 10%. Os demais 32% estão divididos entre os segmentos de moda profissional, praia, gala, inverno, bebê, meias, íntima, de dormir, acessórios e roupas de segurança.

O público masculino representa 35% do mercado. A moda infantil tem participação de 18% e a bebê, 5%.

A produção e o consumo aparente (produção mais importação menos exportação) praticamente se equivalem. O país produziu em 2004 o equivalente a US$ 15,9 bilhões e o consumo aparente foi de US$ 15,7 bilhões. Ainda é o mercado interno que sustenta a indústria da moda no Brasil.

O consumo de fibras no país, por sua vez, gira em torno de 8 a 9 quilos por habitante, enquanto em nações com o mesmo nível de desenvolvimento atinge de 10 a 12 quilos. Esses números indicam a existência de potencial de crescimento no setor.

 

4.2 As transformações do setor

A crise do setor verificada no início dos anos 1990 conduziu a uma série de transformações na organização produtiva. Elas redundaram em um grande movimento de recuperação, que teve como características principais os seguintes fatores:

a) Aproveitamento das condições cambiais favoráveis (1994-99) para promover uma profunda modernização no parque industrial interno;
b) Esforços de promoção e divulgação do produto nacional nos mercados externos, dedicando atenção especial aos itens de maior valor agregado (confeccionados) para reverter o papel tradicional de país exportador de matérias-primas e “commodities”;
c) Organização de um calendário oficial para a produção nacional de moda em vestuário, marcado por eventos de grande escala e repercussão, de que são exemplo o São Paulo Fashion Week (SPFW) e o Fashion Rio;
d) Crescente desverticalização das empresas, associada aos esforços de investimentos em ativos imateriais, tais como desenvolvimento de produto, marcas e design, marketing, comercialização e distribuição dos produtos; e
e) Deslocamento da produção para outras regiões via investimentos ou subcontratação da produção, marcadamente da região Sudeste para a Nordeste. Essa desconcentração regional produtiva, no entanto, resumiu-se às etapas materiais do processo, pois não aconteceu, pelo menos com a mesma intensidade, nas etapas e funções de planejamento e concepção da cadeia têxtil-vestuário.

Uma das conseqüências mais marcantes da modernização do parque de máquinas foi à eliminação de hiatos tecnológicos, sobretudo nos elos mais importantes da cadeia que são responsáveis pela produção de fios e tecidos.

Tal modernização foi alcançada por meio da importação maciça de equipamentos. Como reflexo, esse movimento culminou na quase completa eliminação do parque industrial interno dedicado à produção de máquinas e equipamentos têxteis, o que colocou o país em situação de dependência de bens de capital têxteis importados.

No segmento final da cadeia, as transformações foram ainda mais visíveis. O São Paulo Fashion Week e o Fashion Rio, além de expor a produção de moda nacional para o público estrangeiro, cumpriram também o papel de estabelecer um calendário oficial, que tende a orientar as ações de toda a cadeia, principalmente para as empresas que exploram o conceito moda.

A existência de datas firmadas para o lançamento de coleções anuais, ao mesmo tempo em que disciplina a cadeia, pode acabar comprimindo os prazos de transformação de modelos em peças comercializáveis.

Essa falta de sincronia ainda existente em alguns segmentos específicos demanda uma melhor coordenação entre aqueles que desenvolvem os modelos, seus fornecedores de matérias-primas e de serviços de costura. Mas é uma preocupação que nem sequer existia há pouco mais de dez anos.

Embora seja visível a evolução – em termos de design, criatividade e posicionamento de marca–, é perceptível que ainda existem pontos a serem melhorados em áreas como desenvolvimento do produto e posicionamento mercadológico. Isso mostra que o segmento no país ainda tem de avançar em termos de competitividade internacional.

 

5 Planejamento de Marketing

 

5.1 Segmento de atuação no mercado

Com base em criteriosa pesquisa de mercado junto a entidades e sindicatos da região, a Visual Vest definiu, após análise dos dados levantados, produzir roupas de lazer masculinas, sendo camisetas, regatas e pólos.

A decisão por atuar no segmento da indústria do vestuário, foi a mais acertada possível, pois o momento, apesar da concorrência interna acirrada e também com o fantasma dos importados em função do mercado globalizado, os números continuam em alta e, a busca do consumidor por produtos mais baratos e com níveis de qualidade agregada vieram de encontro com o propósito de uma equipe comercial e tecnicamente preparada para novos desafios e com muita vontade de fazer acontecer a partir do diferencial.

 

5.2 Comportamento do consumidor (público-alvo)

Por ter optado pelo mercado regional varejista que é muito bem definido pela necessidade de antecipação das entregas dos produtos adquiridos e, ofertas normalmente em número maior do que a procura, necessariamente de imediato deve-se desdobrar para que o diferencial da Visual Vest fique em evidência.

 

5.3 Estratégia de Preço:

Pelo fato ser uma entrante num mercado evidentemente concorrido a empresa decidiu trabalhar com preços pouco abaixo do praticado pela concorrência buscando ganhar participação no mercado frente aos concorrentes.

 

5.4 Programa de Promoção

De forma a fixar a marca Visual Vest no mercado atacadista, a empresa adotou como estratégia de divulgação:

• Inserção semanal (com pagina indicada) de anuncio colorido de meia página aos domingos no jornal de maior tiragem na região (R$ 5.222,00 por anuncio)
• Elaboração de pagina na Web de forma a divulgar virtualmente a marca e produtos com atualizações periódicas antecipando e informando os lançamentos de acordo com programa de produção (custo da pagina R$ 2.000,00 + custo FEE R$ 300,00 mês)
• Catálogos impressos para os representantes comerciais como material de apoio para divulgação do lançamento junto aos clientes ao custo de R$ 2.000,00 por coleção.

 

5.5 Estratégia de Vendas

Com estratégia de vendas a Visual Vest está comprometida com calendário predefinido de acordo com as estações do ano, conforme cronograma descrito:

a) Dezembro: lançamento da linha de uniformes escolares, com plano de vendas que tem inicio em dezembro terminando em 28 de fevereiro do ano seguinte.
b) Março: lançamento da coleção inverno, com plano de vendas que tem inicio em março terminando em 31 de maio.
c) Junho: lançamento da coleção primavera, com plano de vendas que tem inicio em junho terminando em 31 de agosto.
d) Setembro: lançamento da coleção verão, com plano de vendas que tem inicio em setembro terminando em 30 de novembro.

A estratégia de vendas definida e entendida como diferencial é a utilização da estrutura dos representantes comerciais que simultaneamente a agenda de visitas junto aos clientes terá também a responsabilidade de entrega dos pedidos pelo cliente efetuados não onerando seu cliente com o custo do frete bem como a responsabilidade de resolver toda e qualquer não conformidade oriundas de vendas. Como fator motivacional fica instituído premiação para os representantes a partir de metas de vendas definidas pela diretoria com base em histórico de vendas dos representantes.

 

5.6 Previsão de Vendas

 

tabela

 

6 Planejamento de Operações

 

6.1 Sistema de Transformação

 

tabela

 

Figura 4: Tabela de Sistema de Transformação

 

6.2 Critérios competitivos

Os principais critérios competitivos adotados pela Visual Vest serão o prazo de entrega (25 dias) e o estoque adequado do produto acabado.

As operações produtivas da empresa têm início com a análise da carteira de pedidos feita pelo Gerente de Produção com auxilio do sistema de gestão, realizada todas as segundas-feiras. Após a análise é desenvolvida a ordem de produção semanal, que é repassada para as áreas de corte, expedição e para o encarregado de produção. A análise de compra é realizada as quintas-feiras também pelo Gerente de Produção.

De forma a melhor aproveitar força de trabalho, o recebimento de matéria prima e expedição de produto acabado são tarefas executadas pela mesma equipe, que recebe a matéria prima e envia ao setor de corte. Depois de cortada, as peças são transferidas para setor de costura, refilagem e embalagem com posterior envio para o setor de produto acabado onde tem inicio o processo de separação dos pedidos.

Contamos com 10 funcionários na área de produção, tendo como carga horária 9 horas trabalhadas de segunda a quinta-feira e 8 horas trabalhadas na sexta-feira.

 

6.3 Capacidade

Abaixo, tabela e gráfico com capacidade de produção da Visual Vest e Previsão de venda classificadas pelo lançamento das coleções.

 

tabela

 

 

6.4 Layout

 

tabela



Figura 7: Layout da empresa Visual Vest

 

7 Planejamento de Logística

 

7.1 Logística de suprimentos

 

tabela



Figura 8: Foto do Prédio Visual Vest

 

7.1.1 Administração de materiais

Matérias primas: Malha de Algodão de cor solida, malha de algodão listrada (fio tinto), malha de PV (67% Poliéster, 33% Viscose), todos fornecidos em 12 cores.

Linhas / Agulhas / Elásticos / Embalagens / Fita adesiva / etiquetas / Peças reposição.

Fornecedores: Malha de algodão de cor solida e de PV, fornecedor regional; malha listrada, fornecedor da região sul (devido à qualidade e preço).

O estoque mínimo será 300 kg suficiente para cinco dias produção

Lead-time: fornecedor regional com pronta entrega, 24 horas e 72 horas. Fornecedor do sul com prazo de entrega de 20 dias.

Plano de ação p/ interrupção de fornecimento está alicerçado na outras duas malharias regionais com atendimento similar.

 

7.1.2 Compras

A matéria prima é comprada após a entrada do pedido em nosso sistema, sendo responsável pela concretização o Gerente de Produção e os prazos para pagamento variando entre 30, 90 e 120 dias. A quantidade comprada planejada de compra é de 1.200 kg/mês. O critério usado para compras é baseado na qualidade, preço e prazo de entrega, o pedido é formalizado por e-mail, telefone, fax.

Toda a matéria prima utilizada chega à empresa por meio de transporte rodoviário.

 

7.1.3 Armazenagem matéria prima.

Consiste em uma área de 10 metros quadrados, com sistema FIFO de giro de estoque. A matéria prima chega em rolos envoltos em embalagem plástica protegidos por strech film.

 

7.2 Logística Interna

O material e recepcionado pelo Gerente de produção que faz a conferencia do pedido e o auxiliar de expedição faz a entrada no estoque via sistema. O abastecimento do setor de produção é feito a partir do momento em que o encarregado de corte emite uma solicitação de retirada de matéria prima e apresenta ao auxiliar de expedição, que a entrega e baixa no estoque via sistema. Matéria prima cortada é separada em corte/modelo e segue para a produção manualmente, sem embalagem, depois de concluídas as peças são levadas manualmente para mesa de separação de pedidos. O processo de produção utiliza o sistema de materiais em processos, são camiseta coloridas sem estampas e sem embalagem final, são separadas por tamanho e cor e acondicionadas e embalagens plásticas. Acondicionamento de produto final é em prateleira dentro de embalagem individual. As peças do pedido são acondicionadas em caixa de papelão identificada com etiqueta, contendo os dados do cliente, numero da nota fiscal e quantidade de peças.

 

7.3 Logística externa

Toda a distribuição dos produtos da Visual Vest e feita pelos representantes comerciais. O representante comercial fica encarregado da entrega dos pedidos de seus clientes, tendo a possibilidade de efetuar novas vendas. Por ser uma empresa de abrangência regional a distribuição de seus produtos é feita por transporte rodoviário. O pedido de vendas e feito pelo Representante comercial terceirizado, enviado para a Visual Vest por fax ou pessoalmente onde são lançados no sistema. O Gerente de Produção envia pedido para produção. O Prazo de entrega para o representante Comercial é de 25 dias que entregará ao varejista em 48 horas.

 

7.3.1 Layout do Processo Logístico

Figura 9: Layout do Processo Logístico Visual Vest

 

organograma

 

8 Planejamento de Sistemas de Informação

 

8.1 Hardware

A empresa optou pela implantação de uma rede local fixa, a empresa não necessitará de uma rede muito sofisticada, pois ela contará com poucos equipamentos de TI. Para a escolha deste tipo de tecnologia foi considerado os seguintes benefícios:

- Tecnologia simples, baixo custo com equipamentos;

Figura 10: Diagrama de rede local fixa

 

figura

 

A rede será criada e configurada por uma empresa contratada, que prestará suporte técnico sempre que necessário. Conforme na figura 0, acima, optamos por um servidor dedicado (cliente/servidor). Neste servidor será armazenado todo conteúdo intranet (arquivos, e-mails) e também o banco de dados do sistema SIM confecção.

Este servidor será o ponto de acesso para internet.

Para proteger contra qualquer falha de segurança na rede em potencial alguns cuidados e medidas deverão ser tomadas, entre elas: habilitação e configuração da encriptação de dados, definição de um service set identifier (SSID), mudança de senha de administrador do seu hot spot, regulação da intensidade do sinal, instalação de um firewall, bloqueio de portas e protocolos não utilizados.

 

8.2 Software

O software de gerenciamento de banco de dados utilizado será o firebird, é um produto de código livre desenvolvido sobre licença Interbase License, sendo assim não incide custos sobre ele. Algumas características do firebird:

Oferece uma excelente solução como sistema gerenciador de banco de dados de alto desempenho e possibilidade de customização.

A empresa utilizará o software SIM confecção para a gestão de seu negócio. Este sistema foi desenvolvido pela empresa Microdata sistemas, que está a 24 anos no mercado desenvolvendo softwares específicos voltados para área têxtil. As principais funções deste software são:

• Cadastramento Utilizando Grades
• Grades, Coleção, Cor, Estação, Desenho, Grupo, Sub-Grupo, Marca
• Controle de Estoques
• Código EAN
• Carteira de Pedidos
• Faccionista
• Revenda
• Consignados - Mark-Ups
• Controle De Produção OP

A estrutura de TI proporciona desde o desenvolvimento do fornecedor, compra de MP, entrada de MP (malhas) no momento certo no estoque evitando altos custos de inventário, gerenciamento do estoque, (por lote de malhas do fornecedor) industrialização com acompanhamento dos processos em chão de fábrica, envio do tecido para beneficiamento estamparia (externo), no final do processo com a revisão do tecido o sistema identifica quebras cruzando dados de artigo, cor, qualidade,(gerando eficiência e dando rastreabilidade ao tecido) entrada do produto no estoque de matéria prima podendo ser enviada ao corte, ou faccionistas (externo), no retorno dando valores a pagar por prestador de serviços cruzando quantidade de peças enviadas, retorno e valor tratado (gerando a pagar ao prestador de serviços), neste momento o produto passa a fazer parte de estoque de produto acabado, com controle por código de barras estando pronto a atendimento da carteira de pedidos ,integrando a parte financeira com geração de faturamento, contas a receber, fluxo de caixa, envio de duplicatas automático ao banco, inclusive gerando *arquivos fiscais referentes ao faturamento, integrando ao escritório contábil que presta serviço a indústria. (* Sob consulta da linguagem utilizada pelo escritório contábil).

As vantagens apresentadas na utilização do sistema vão da rastreabilidade do tecido possibilitando em caso de defeito identificar os lotes de produtos e fornecedores dos mesmos alem de diminuir o custo de estoques, monitorar a produtividade dos colaboradores, e organização financeira da empresa o que reflete no bom atendimento aos clientes.

Utilização de cada setor do suporte tecnológico:

 

tabela

 

Figura 11: Tabela de Utilização do Sistema por setor

A empresa utilizará também para a automação de suas atividades o pacote Microsoft Office XP, que inclui os seguintes aplicativos:

- Microsoft Word, Microsoft Excel, Microsoft Outlook, Microsoft Power Point.

 

8.3 Site institucional

A web site é uma ferramenta poderosa na divulgação de informação e comunicação com o cliente. Foi pensando nestes fatores que planejamos o desenvolvimento de um site institucional para a empresa, que terá as seguintes funcionalidades:

- Informações institucionais: Disponibilidade de maiores informações institucionais com suas fotos, missão, visão e princípios, endereço.
- Produtos: Divulgar todos os tipos de lançamentos, coleção.
- Diferenciais e objetivos de atuação: Informar a que tipo de público se destina.
- Relacionamento: O cliente poderá entrar em contato com a empresa enviando suas dúvidas e sugestões através de uma ferramenta de e-mail inserida no próprio site. Em todas as telas do site deverão ficar bem visíveis todas as possíveis formas de contato: telefones, celulares, e-mail e fax.
- Mural: Esta ferramenta incorporada ao site permitirá o cliente enviar e tornar públicas suas dúvidas e sugestões sobre assuntos que envolvam os produtos da empresa e também haverá constantes atualizações sobre assuntos e temas pertinentes ao interesse do cliente.

Obs.: Serão excluídas todas as mensagens de conteúdo impróprio e indevido.

- Localização: Mapa interativo que possibilita ao cliente visualizar como se chega à empresa.

 

8.4 Segurança da informação

 

8.4.1 Senhas

Cada usuário dependendo do setor e função é cadastrada no sistema e é lhe dado os direitos de menu, de maneira que ao fazer o login no sistema ele visualize somente às funções compatíveis com sua função. A senha de acesso é de poder e responsabilidade de cada usuário já que o sistema grava um Log. (registro) de acesso e uso no sistema (log. disponível na parte financeira).

 

8.4.2 Backups

Os backups são feitos de maneira manual onde o funcionário da empresa responsável pela respectiva maquina inserem uma mídia (DVD ou Pendrive) e acionam o backup, direcionando os arquivos para a mídia onde pretende gravar os arquivos. Esta ferramenta é essencial, pois através dela é possível restaurar o banco de dados do sistema de maneira a recuperar todo o trabalho realizado até o momento do backup.

 

8.4.3 Investimento em tecnologia da informação

 

tabela

 

Figura 12: Tabela de Investimento em Tecnologia da Informação

 

9 Estrutura Organizacional

 

9.1 Organograma Funcional Visual Vest

 

organograma



Figura 13: Organograma Visual Vest

Por se tratar de uma pequena empresa, o Diretor Administrativo Financeiro é responsável por todo o processo relacionado às áreas de finanças e recursos humanos.

 

9.2 Descrição de cargos

 

tabela

 

tabela

 

tabela

 

tabela

 

tabela

 

9.3 Planejamento de cargos e salários

O planejamento de cargos e salários da empresa será o piso salarial da função, porem utilizará uma política de premiação por produtividade, com base em superação de metas previamente estabelecidas e monitoradas continuamente através de controle da produção.

 

9.4 Planilha com salários

 

tabela

 

Figura 14: Tabela de salários

 

9.5 Política de recrutamento e seleção

A empresa contara com uma agência de empregos para recrutamento e seleção de pessoal com as características almejadas, mas poderá também contratar por conta.

 

9.6 Assessorias externas

A assessoria contábil ficara encarregada de fazer a folha de pagamento, lançamento das contas e declarações junto à receita, balanços patrimoniais.

A assessoria de representação comercial ficara responsável pela abertura de clientes, vendas e entregas.

 

10 Análise Estratégica

 

10.1 Posicionamento estratégico

Foi adotado como posicionamento estratégico da empresa a atuação no mercado com preços abaixo da concorrência, mas com produtos de alta qualidade. Buscando firmar a marca Visual Vest como fornecedora de produtos diferenciados com preços acessíveis.

 

10.1.1 Analise de Swot

 

tabela

 

Figura 15: Matriz PFOA Visual Vest

 

10.1.2 Pontos fortes

De acordo com a análise da Matriz PFOA, constata-se que a empresa Visual Vest Confecção possui pontos fortes como: prazos de entrega, inovação, equipe treinada e preço, pois está situada na região pólo têxtil, a empresa tem facilidades de entrega, por estar mais próximo de seus clientes e fornecedores.

O prazo de entrega pode variar conforme a distância e tipo de produto. Na escolha do endereço de entrega o sistema emite o prazo máximo para entrega do seu produto, que terá validade depois da confirmação de crédito. A cada coleção lançada pela empresa os produtos são totalmente reformulados (com exceção dos uniformes escolares) com novas estampas, novas cores e combinações diferentes. Com uma equipe treinada espera-se atender rapidamente a necessidade do consumidor, podendo sempre estar atualizada com as tendências do mercado, obtendo assim produtividade e qualidade. Pretende-se utilizar a pratica de preços acessíveis como critério competitivo buscando se estabilizar no mercado rapidamente.

 

10.1.3 Pontos fracos

Muitas vezes a empresa depende de terceiros, por exemplo, fornecedor de matéria prima, que pode não entregar a matéria prima no prazo estipulado, acarretando o atraso na entrega dos pedidos, o que pode causar o desgaste da marca.

Um outro ponto fraco relacionado á terceirização e o de a representação comercial ser autônoma (terceirizada) e a empresa não ter controle efetivo sobre este setor, ficando sujeita a disposição dos representantes.

 

10.1.4 Oportunidades

Como já dito acima a empresa esta localizada na Região do Pólo Têxtil (RPT) que referencia no setor em que atua, atraindo oportunidades de negócios, promovendo eventos e capacitação de pessoal.

Essa região concentra uma grande quantidade de empresas do setor têxtil, o que tenhamos certa disponibilidade de matéria prima.

 

10.1.5 Ameaças

Uma das ameaças analisada foram os produtos importados, pois cada vez mais os clientes estão tendo acesso aos mesmos, que possuem preços muito competitivos e acabam abocanhando uma fatia significativa do mercado.

Outra ameaça detectada foi o crescente aumento de entrantes no setor, o que torna ainda mais acirrada a concorrência. Sem contar ainda, que muitas vezes estas empresas operam na informalidade atuando de forma desleal no mercado.

 

10.2 Análise de portfólio

A cada três meses é lançada uma nova coleção com foco em uma estação do ano e, os produtos da coleção anterior morrem, dando espaço a novos produtos que se adéquam as tendências do momento como cores, estampas e acabamento.

Os produtos oferecidos que são divididos em quatro famílias: camiseta de manga curta, camiseta de manga longa, pólo e regata. Devido à sazonalidade alguns produtos são produzidos somente em determinadas épocas do ano como é o caso da regata e da camiseta de manga longa, que acabam tendo um ciclo de vida muito curto sendo lançados uma única vez no ano.

 

10.3 Estratégia

A estratégia da empresa tem objetivos coerentes que almejam ganhar participação no mercado através de proporcionar e oferecer aos seus clientes, produtos dentro dos mais rígidos padrões de qualidade com preços acessíveis, de modo a manter lealdade e apoio dos representantes e cultivar junto ao cliente a fidelidade pela marca Visual Vest.

 

10.4 Objetivos e metas

Para obter preços competitivos a empresa tem como objetivo superar metas de produção buscando atender a previsão de vendas dentro do prazo de entrega, capacitar seus colaboradores por meio de treinamentos, buscando a maior efetividade produtiva possível dentro da nossa realidade, a fim de fixar sua marca como empresa integra e focada na satisfação do cliente, atuando no mercado de forma a rentável para perpetuar prosperamente.

 

10.5 Balanced scorecard (BSC)

 

tabela

 

Figura 16: Balanced Scorecard Visual Vest

 

10.6 Modelo de Gestão.

O acompanhamento do desenvolvimento da empresa Visual Vest Confecção, será realizado por meio de reuniões semanais, que ocorrerão toda segunda-feira, onde o diretor, juntamente com o gerente de produção, o gerente comercial, representantes de vendas e os colaboradores, alinharão as informações sobre o negócio e analisarão os indicadores, tais como conquista de novos clientes, questões relativas a finanças e entre outros indicadores presentes no Balanced ScoreCard e serão discutidas as propostas de melhorias e novas estratégias para uma melhor performance da empresa. Sendo assim a empresa utilizara um sistema de gestão participativa utilizando melhor os talentos internos e gerando comprometimento da equipe.

 

11 Planejamento financeiro e orçamentário

 

11.1 Investimentos iniciais

A empresa planeja investir inicialmente R$ 200.000,00, divididos da seguinte maneira: R$119.258,19 em caixa, R$ 129.900,50 em estoque, R$ 73.553,11 em imobilizado.

 

11.2 Plano econômico

O plano econômico quanto a reajuste de preço será definido de acordo com os lançamentos das coleções, ou seja, a cada coleção os preços serão reajustados conforme reajuste da matéria prima.

 

11.3 Plano de marketing e vendas

A empresa planeja vender no ano 54648 peças, a faturar R$ 579.571,63, conforme figura 4 (pag. 11), com prazo de 30, 60 e 90 dias, com suposta inadimplência de 10%.

 

11.4 Plano de produção materiais e logística

A empresa vai trabalhar com estoque para 5 dias de produção pois a produção será sob carteira de pedidos, e planeja comprar no ano R$ 180.540,97 o que da uma media mês de R$15.045,08, com prazo de pagamento de 30, 60 e 90 dias.



11.5 Plano de recursos humanos

 

tabela

 

Figura 17: Tabela de salários e numero de funcionários

Os encargos gerados por esta folha de pagamento serão de aproximadamente R$3.381,37.

 

11.6 Plano de informática

O investimento em tecnologia da informação será de R$ 29.519,00 em hardware, software e serviços, e R$ 1.679,00 em manutenção de rede, sistema e site.

 

11.7 Plano de despesas gerais administrativas e de vendas

As despesas gerais da empresa ficaram por volta de R$ 10.000,00 podendo variar de acordo com as vendas e utilização da capacidade produtiva. As despesas comerciais e de vendas serão de 17% das vendas e serão pagas dentro do mês.



11.8 Fluxo de caixa, DRE e Balanço patrimonial

 

tabela



Figura 18: Fluxo de caixa, DRE e Balanço patrimonial Visual Vest

Comentários