Amigo Nerd.net

Balanço Patrimonial

Autor:
Instituição: UFSC
Tema: Balanço Patrimonial

BALANÇO PATRIMONIAL

INTRODUÇÃO

Os relatórios contábeis obrigatórios foram instituídos, originalmente, para as sociedades anônimas e, posteriormente, adotados para as demais sociedades comerciais. No entanto, existem outros relatórios que não são obrigatórios, mas auxiliam tremendamente na gestão das empresas.

Relatório contábil é a exposição resumida e ordenada de dados colhidos pela Contabilidade. Ele objetiva relatar às pessoas que utilizam os dados contábeis os principais fatos relatados por um certo setor num período.

Os relatórios obrigatórios são aqueles exigidos por lei, sendo conhecidos como demonstrações financeiras. Os relatórios não obrigatórios são os não exigidos por lei, mas mesmo assim, muitos são imprescindíveis para uma boa administração.

A lei das sociedades por ações estabelece que, ao fim de cada exercício social (ano), a diretoria irá elaborar, com base na escrituração contábil, as seguintes demonstrações financeiras (ou contábeis):

Veremos neste trabalho, como devem ser apresentados o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício, assim como a relação que a DRE exerce em função do Balanço Patrimonial

1. BALANÇO PATRIMONIAL

O Balanço Patrimonial reflete a posição financeira em determinado momento (normalmente, no fim do ano) de uma determinada empresa.

O Balanço Patrimonial (BP) é constituídas de suas colunas: a coluna do lado direito é denominada de passivo e patrimônio líquido. A coluna ao lado esquerdo é denominada ativo. Atribui –se por mera convenção o lado esquerdo para o ativo e o lado direito para o passivo e o patrimônio líquido.

1.1 Representação Gráfica:

BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO

PASIIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

LADO ESQUERDO

LADO DIREITO

 

1.2 ATIVO

São todos os bens e direitos de propriedade da empresa, avaliáveis em dinheiro, que representam benefícios presentes ou futuros para a empresa.

Propriedade:

Se um bem ou direito não for de propriedade da empresa, não constará do seu Ativo. Funcionários de uma empresa não são contabilizados como ativo, pois ainda que sejam um bem, não são considerados de propriedade da empresa.

Portanto, para ser ativo, é necessário preencher os quatro requisitos simultaneamente:

1. Bens ou direitos

2. De propriedade da empresa

3. Mensurável monetariamente

4. Benefícios presentes ou futuros.

1.3 PASSIVO

Passivo Exigível:

Evidencia toda a obrigação (dívida) que a empresa tem com terceiros: contas a pagar, fornecedores de matéria prima (a prazo), imposto a pagar, financiamentos, empréstimos, etc.

O Passivo é uma obrigação exigível, isto é, no momento em que a dívida vencer, será exigida a sua liquidação. Por isso é mais adequado denominá-lo de exigível.

Patrimônio Líquido:

Evidencia recursos dos proprietários aplicados no empreendimento. O investimento inicial dos proprietários é denominado, contabilmente, Capital. Se houver outras. Se houver outras aplicações por parte dos proprietários, teremos acréscimo ao capital.

Os rendimentos resultantes do capital aplicado geram Lucro, e isto aumenta o Patrimônio Líquido. Geralmente uma parte deste Lucro se destina aos proprietários e acionistas como dividendos, outra parte é revertido para a empresa e fica no Patrimônio Líquido denominado de lucros acumulados.

4.3.1 ORIGENS E APLICAÇÕES

O lado do passivo, tanto capital de terceiros (passivo elegível) como capital próprio (patrimônio líquido), representa toda a fonte de recursos, toda a origem de capital. Nenhum recurso entra na empresa se não for via passivo ou patrimônio líquido.

O lado do ativo é caracterizado pela aplicação dos recursos originados no passivo e no patrimônio líquido.

Desta forma o ativo sempre deverá Ter o mesmo valor do passivo + o PL, pois só se pode aplicar aquilo de que se tem origem. Surge então a equação contábil básica:

ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O Balanço Patrimonial é composto do cabeçalho no qual constará:

Veja a seguir como ficam as contas no Balanço Patrimonial e seus significados.

ATIVO

PASSIVO

CIRCULANTES

São obrigações exigíveis que serão liquidadas no próximo exercício social: nos próximos 365 dias após o levantamento do Balanço.

EXIGÍVEL A LONGO PRAZO

São as obrigações exigíveis que serão liquidadas com prazo superior a um ano. Dívidas a longo prazo..

.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

São os recursos dos proprietários aplicados na empresa.

Os recursos significam o Capital mais o seu rendimento - Lucros e Reservas

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

A demonstração do Resultado do Exercício (DRE) é um resumo ordenado das receitas e despesas da empresa em determinado período (12 meses). É apresentada de forma dedutiva (vertical), ou seja, das receitas subtraem-se as despesas e, em seguida, indica-se o resultado (lucro ou prejuízo).

A DRE completa, exigida por lei, fornece maiores minúcias para a tomada de decisão: grupos de despesas, vários tipos de lucro, destaque dos impostos e etc.

Vejamos as principais contas e seus significados na DRE:

RECEITA BRUTA

(-) DEDUÇÕES – neste grupo incluem-se todos os valores que não representam sacrifícios financeiros para a empresa, mas que são meros ajustes para chegar a um valor mais indicativo que é a renda líquida.

RECEITA LÍQUIDA

(-) CUSTOS DO PERÍODO – são somente os gastos da fábrica (de produção), incluindo matéria prima, mão de obra, depreciação de bens da fábrica, aluguel da fábrica, energia elétrica da fábrica, etc.

LUCRO BRUTO

(-) DESPESAS – são os gastos de escritórios, gastos para administrar (desp. Administrativas) a empresa como um todo

LUCRO OPERACIONAL

(-) PERDAS – normalmente, são fastos imprevistos, anormais, extraordinários, que não contribuem para a obtenção de receita (vendas).

LUCROS ANTES DA DISTRIBUIÇÃO

(-) PARTIC. DE TERCEIROS – há pessoas que, voluntária ou involuntariamente terão fatias do lucro, como governo (através de impostos), administradores, empregados (gratificações), etc.

LUCRO LÍQUIDO

(-) PARTICIPAÇÃO DOS SÓCIOS – sócios/acionistas – distribuição do lucro (dividendos – esta última distribuição é indicada na demonstração de lucros ou prejuízos acumulados)

LUCRO LÍQUIDO RETIDO NA EMPRESA

CONCLUSÃO

A demonstração do resultado do exercício (DRE), mostra informações diferentes do Balanço patrimonial, mas nem por isso uma demonstração é menos importante da outra.

Na DRE podemos ver claramente onde foram gastos os recursos da empresa, sabendo assim o valor de despesas administrativas separados do setor de produção e vendas da empresa. Estas informações são cruciais para que o administrador e tenha fontes seguras e precisas para a tomada de decisão.

Por essa razão se detêm agrupadas cada informação em grupos de características semelhantes. Assim têm-se riquezas de detalhes e praticidade de análise.

O balanço patrimonial, fornece informações sobre as obrigações e os direitos da empresa, portanto existem decisões que não podem ser tomadas sem o auxílio deste balancete, assim como temos outras que não podem ser tomadas sem a DRE, ou mesmo sem as duas demonstrações juntas.

Com o balanço patrimonial em mãos é possível saber se a empresa vem cumprindo com suas obrigações com terceiros, qual seu valor investido em bens e até em obras de arte, quanto se tem em dinheiro no caixa, quais os equipamentos e suas depreciações entre diversas outras informações, as quais não estão disponíveis na DRE.

Em compensação a DRE nos informa dados que não temos no balanço patrimonial, ou seja, se completam. Podemos ver qual o lucro do período, quanto pagamos de impostos e o valor para o custo das mercadorias.

Assim concluo da forma como já me expressei anteriormente. Não devemos dar maior valor a uma ou outra demonstração, mas sim saber avaliar ambas para se tirar o maior proveito das informações.

BIBLIOGRAFIA

LUDÍCIBUS, Sérgio de. MARION, José Carlos. MANUAL DE CONTABILIDADE PARA NÃO CONTADORES. São Paulo: ATLAS, 1990.

FAVERO, Hamílton Luiz. CONTABILIDADE: Teoria e Prática. São Paulo: ATLAS, 1997.

ANDERSEN, Arthur. NORMAS E PRÁTICAS CONTÁBEIS NO BRASIL. São Paulo: ATLAS, 1994.

Comentários


Páginas relacionadas