Resenha: Revolução dos Bichos

Autor:
Instituição: Unisuam
Tema: Resenha a Revolução dos Bichos

Resenha a Revolução dos Bichos
Unisuam
2008

 

 

 

Faremos o resumo desta obra: Ocorreu na "Granja Solar", administrada pelo Sr. Jones e este começou a beber cada vez mais. Onde deixou a granja em total abandono e os bichos já estavam até passando fome. Por não suportar aquela situação um porco inteligente (chamado "Major") resolveu mostrar para os demais bichos a realidade da situação e acompanhado dessa insatisfação teve um sonho que lhe serviu de motivação para a organizar uma revolta onde os animais lutariam por melhores condições de sobrevivência, auto-suficiência e desenvolveu uma filosofia denominada pelos bichos de "Animalismo".

Pouco tempo depois o Major veio a falecer, fazendo com que os outros porcos que eram os mentores intelectuais começassem a executar todos os seus ensinamentos. Onde o porco Napoleão possuía grande força de vontade, o porco Bola de Neve era mais ativo e imaginoso e porco Garganta manejava a palavra com brilho. Esses três, organizaram os pensamentos do Major, “Animalismo”.

O primeiro passo foi à expulsão do Sr. Jones, esposa e empregados, depois a publicação dos sete mandamentos baseados no "Animalismo" e por último a formação de uma comissão liderada pelos porcos Bola-de-neve e Napoleão.

No início existiu harmonia sobre a granja, agora chamada de "Granja dos Bichos". No decorrer da história Napoleão se revoltou contra Bola-de-neve e contando com a ajuda de nove perversos cães o expulsou cruelmente da granja.

Então a Granja passou a ser liderada por Napoleão com o auxílio do porco "Garganta" e de seus fiéis escudeiros: os cães. Napoleão implanta na granja uma nova política: a de comercialização. Nesta época os líderes da Granja (os porcos) mudam-se para a casa grande e em nome de uma democracia inexistente os líderes começam a fazer alterações nos mandamentos.

Inicialmente Napoleão mostrou-se competente com os ideais do "Animalismo", porém gradativamente foi se mostrando soberbo e opressor. Sempre justificado por Garganta, Napoleão começou a transgredir todos os mandamentos que estava sendo vivida pelos demais bichos, como por exemplo: regalias alimentares para os porcos, invasão da casa e uso das vestimentas do Sr. Jones, ingestão de bebidas alcoólicas, homicídios, escravidão, convivência e relação comercial com os humanos e para espanto de todos os bichos, os porcos foram treinados para caminharem sobre duas patas! Isso mostra o distanciamento entre os dirigentes do movimento revolucionário e os outros animais da "Granja dos Bichos".

Enfim, Napoleão agia somente em seu benefício, instalando um regime ditatorial, dominando e hostilizando os demais animais na qual julgava inferiores.

Daí concluímos que Napoleão conseguira destruir todos os ideais dos bichos, fazendo com que as gerações futuras desconhecessem a importância da Revolução e da época em que a granja vivera dias felizes, pois o que verdadeiramente aconteceu foi à substituição de "opressores", ou seja, Sr.Jones foi expulso para ser representado por outro opressor, só o que ninguém contava é que este seria um animal: seria Napoleão (um porco).

Este artigo tem por finalidade abordar os jogos de Poder. A fabula "A Revolução dos Bichos" mostra as conseqüências do poder ilimitado. Sabemos que a ganância do poder não tem raça nem cor. Podemos utilizar a frase do livro que comprova tal afirmação: "Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros".

O processo de alienação dos demais animais, ilustrado principalmente pelo porco Garganta, descrito no livro como um animal que “Manejava a palavra com brilho, [...] era capaz de convencer de que preto era branco.” Isso remete a dois aspectos fortes no totalitarismo da União Soviética: a censura e a manipulação direcionada da mídia e a alienação e deturpação da memória coletiva. Os que eram contra, ou criticavam o sistema, eram expulsos ou executados.

O cavalo Sansão representa a real força da revolução. Animal mais forte e mais trabalhador, o problema de Sansão é sua dificuldade em aprender a ler, e em interpretar as idéias dos porcos. Sempre confiante em Napoleão, mesmo após a expulsão de Bola-de-Neve, nunca para de trabalhar, até que, um dia, adoece esgotado pela exploração de sua força de trabalho. Não podendo mais trabalhar, é mandado para um matadouro, para evitar as despesas com sua inatividade. Sansão é uma referência direta à classe camponesa – real força da revolução, mas que é mantida alienada após a revolução, manipulada pelo governo.

A leitura deste livro só faz confirmar a teoria de que não importa quem esteja com o poder nas mãos, pois vai acabar sendo corrompido por ele de qualquer maneira. Seja, o bicho homem ou outro bicho inteligente como o do livro que é representado pelo porco.

Através do nosso cotidiano devemos analisar que o poder depois de experimentado entra nas veias causando estragos não somente a si mesmo, mas principalmente a aqueles que estão sob influencia desta pessoa. Quem o tem, não mede conseqüências e não pensa no próximo, pensa apenas em como tirar proveito e em como não perder. Quanto mais se tem o poder, mais se quer ter.

George Orwell escreveu em seu livro, através de metáforas, uma realidade existente em nosso dia a dia. Sabemos que existem seres humanos que insistem em dominar as pessoas em sua volta, passando por cima da ética e da lei para obter suas ambições. Logo esta obra traz uma crítica aos estados totalitários, onde denuncia o poder ilimitado, centralizado na mão de apenas um, ou de um grupo, pode ser deturpado e desviado de sua proposta inicial.

Mostra, através de exemplos simples, como aqueles que estão no poder manipulam palavras e declarações, modificam leis e fazem sua vontade prevalecer, mesmo que através da força ou do medo, sempre objetivando aumentar seu poder e usufruindo tudo que pudesse obter através do poder.

Esta obra expôs a insatisfação das desigualdades sociais e econômicas. Mostra passo a passo a lenta agonia de um movimento democrático que caminha para seu trágico final, que foi transformar-se em uma ditadura, com problemas iguais ou piores dos que existiam antes da revolução. Podemos comparar metaforicamente com muitos governantes nacionais e estrangeiros. Podemos citar: George W. Bush, Luis Inácio Lula da Silva, Saddam Hussein e caso continuássemos a lista seria grande demais.

Luiz Inácio Lula da Silva, que para vencer a eleição, o "ex-líder grevista" modera seu discurso, então ele mudou para chegar ao poder. Quando eleito presidente, mudou ainda mais seu discurso, era a favor da classe operária, mas fez a reforma da previdência, que tirou vários benefícios do povo, manteve os salários dos marajás e traiu os funcionários públicos ao oferecer 1% de aumento.

A obra “revolução dos bichos” é um manifesto de ódio ao totalitarismo, à hipocrisia, à mentira e à crueldade humana. As lições deixadas pelo escritor são mais atuais do que nunca. A concentração de poder, a manipulação das informações e as desigualdades são cada vez mais absurdas. Então é um livro excelente para quem quiser entender um pouco da natureza política do ser humano.

Refletindo sobre os pensamentos de Maquiavel podemos afirmar que os ciclos se repetem, apenas o momento é outro; novamente o povo insatisfeito, começa a se organizar em busca de igualdade, liberdade, justiça e paz social.

 

Quem é George Orwell

O autor, George Orwell, nome verdadeiro é Eric Arthur Blair, escreveu "A Revolução dos Bichos" através de suas experiências de vida. Onde se tornou um socialista, mas criticava os regimes imperialistas, seja ele o Capitalismo ou o Comunismo.

Nesta obra, através de uma fábula o autor utiliza uma falsa ilusão que o sistema político causam na população, principalmente o de menor capacidade econômica ou de menor intelectualidade.

Gerando uma realidade onde os que mais trabalham são os mais pobres e famintos. O livro trata sobre as questões dos paises que já estiveram ou vivem em regime de opressão e governados por tiranos.

George Orwell utilizou a vida de Stalin, onde este era de origem simples, filho de sapateiro, que juntamente com o povo viveu toda a opressão e tirania dos governantes anteriores. Então organizou a revolução mas quando assumiu o poder se corrompeu se tornando pior que os tiranos que ele próprio combateu.

O autor, George Orwell, nome verdadeiro é Eric Arthur Blair, escreveu "A Revolução dos Bichos" através de suas experiências de vida. Onde se tornou um socialista, mas criticava os regimes imperialistas, seja ele o Capitalismo ou o Comunismo.

Nesta obra, através de uma fábula o autor utiliza uma falsa ilusão que o sistema político causam na população, principalmente o de menor capacidade econômica ou de menor intelectualidade.

Gerando uma realidade onde os que mais trabalham são os mais pobres e famintos. O livro trata sobre as questões dos paises que já estiveram ou vivem em regime de opressão e governados por tiranos.

George Orwell Stalin foi de origem simples, filho de sapateiro, que juntamente com o povo viveu toda a opressão e tirania dos governantes anteriores, ajudou a organizar a revolução mas quando assumiu o poder se corrompeu se tornando pior que os tiranos que ele próprio combateu.

Comentários