Amigo Nerd.net

Socialismo e Positivismo

Autor:
Instituição: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA
Tema: Karl Marx e Emile Durkheim

SOCIALISMO E POSITIVISMO

Barra Mansa

2004


INTRODUÇÃO

Trabalho de pesquisa tem o discernimento de explicar e compreender a sociologia da forma mais prática possível, essa análise foi feita através de muito estudo, procuramos em muitas pesquisas anteriores para entender o assunto. Pegamos o todo inicial para aplicar essa afirmação, foi feito através de verdades corretas, que a ciência já aplica na sociedade.

A sociologia é uma ciência que tem como objeto o estudo dos aspecto sociais da vida humana. Através de métodos e regras próprias, a sociologia preocupa-se em examinar a realidade social. No trabalho será possível encontrar dois aspectos diferentes de compreensão da sociologia que é o socialismo e positivismo.

Socialismo busca esclarecer as mudanças sociais que a sociedade sofre, devido a grande aceleração industrial e urbanização, vem mostra para as pessoas como que o sistema capitalista castiga o indivíduo, para obter lucros. A fonte de pesquisa para aplicar as afirmações foram feita através do pensador sociológico Karl Marx, é um dos pais da sociologia, que contribui para o desenvolvimento dessa análise. Ele é contra a forma que a classe burguesa implica as regras, só pensam neles, esquecem que os trabalhadores são seres humanos como eles, que tem o direito de lazer, educação e saúde. Para ele o sistema capitalista não é a melhor forma para chegar o nível de igualdade social entre os indivíduos. Devido ao rigoroso sistema que humilha o homem para ganha uma quantia pequena pelo seu esforço exercido nas fábricas, quem não aceitava ou exigia condições sociais melhores, eles mandavam embora e contratavam outro que não questionava deles, pela qual, podia fazer a qualquer momento, pelo motivo do grande nível de desemprego, ou eles aceitavam ou eram dignados da fábrica. Karl Marx era muito questionado pelos capitalista devido como ele expressava suas idéias. Para ele a sociedade tinha que ter uma única classe social, ou seja, sem desigualdades sociais, que todas as pessoas teriam os mesmos direitos sociais.

Positivismo busca compreender tudo o que se referia ao homem, principalmente as relações entre eles. Tinha posição diferente da dos socialista, defendiam somente a afirmação que fosse analisada com verdadeiro espírito científico, com objetividade e com ausência de metas preconcebidas, próprios das ciências em geral, e propor normas de comportamento seguindo a orientação do pensamento positivista, a noção de organização social entre os homens sempre existiu, chamada consciência coletiva. Fato social é toda a maneira de agir, fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior, através de métodos sociológico que teremos oportunidade de dar a prova disso. A educação como elemento integrador a sociedade prepara as pessoas, para que elas tenham discernimento essencial para a sua existência, que é submetida ao controle do Estado. Classifica o tipo sociais de suicídio, as causas que os produzem. Ele compreendia a sociedade capitalista como forma dos indivíduos se unirem para exerce as funções sociais que estão incompletas. possibilitando a vida prática em comum, a divisão do trabalho social produz a solidariedade.


DESENVOLVIMENTO

O século xvlll, teve uma grande importância na evolução do pensamento socialista, que os pensadores aprofundam estudar as mudanças da economia, política, cultural do ocidente europeu. A revolução industrial principal evolução humana, surgiu um novo sistema de produção(máquinas a vapor, ferramentas, terras) sob o controle da sociedade capitalista. Ocorreu muitas mudanças nos meios de produção, ainda as pessoas tinha que obedecer regras para o viver, muitos diferentes da sociedade feudal. A sociedade feudal (atividade artesanal), não tem o poder forte de meio de produção na sociedade capitalista, as pessoas que moram no campo se dirigem para o centro da cidade em busca de emprego, os patrões (donos de fábricas) escolhem a oferta de mão-de-obra jovem e mais barata (mulheres e crianças).

Karl Marx, é um dos pais da Sociologia, que tenta compreender as transformações da sociedade (relações sociais decorrem dos modos de produção) e nas formas de sobrevivência, para ele o fator econômico é fundamental para estruturar o desenvolvimento da sociedade, ele vem tentar elaborar uma teoria sistemática da estrutura e das transformações sociais. Elabora uma ideologia, que o homem tem de agir politicamente para mudar o quadro de desigualdades. A mudança social acontece a partir que o equilíbrio das forças produtivas e os meios de produção, entrem em choque.

Analisa as mudanças de classes sociais, e o desequilíbrio das relações técnicas de produção(máquinas, equipamentos e terra) que atua sobre a natureza e uso execivo da força do trabalhador, e estuda sobre os conflitos originados das desigualdades econômicas e a forma que o sistema capitalista controla as idéias das pessoas para que elas não percebam a diferença no poder econômico e na qualidade de vida.

Ele busca uma solução para a compreensão das diferenças econômicas.

Ele entende que a população mundial depende de uma minoria para sobreviver. Para o capitalismo o homem e a mulher comum é mais uma mercadoria, não tem outra coisa para vender a não ser sua própria força de trabalho, que não é muito valorizada no sistema capitalista. Para os patrões das industriais, os trabalhadores passa a ser tratados como uma mercadoria ambulante, os trabalhadores não fazem exigências de condições de vida.

Com muita modificações na sociedade, gera conseqüências graves como o aumento de competição entre os trabalhadores, Marx crítica a forma de competição que os donos de industriais impõem sobre os trabalhadores, para conseguir uma vaga de trabalho, fala que é antinatural, desumana e violenta, com isso aumenta s violência urbana contemporânea (aquelas pessoas que não tem a nada perder), mesmo assim quem tinha emprego não tinha uma vida economicamente digna. Também crítica a forma que o homem pode ser descartado por uma máquina., e como que a burguesia criar um mundo à sua própria imagem sem perguntar se o mundo natural agüenta todo esse processo de exploração mundial, a alta burguesia imprimi seus próprios produtos, gostos a hábitos, sem perguntar para a sociedade se ela agüenta. Basta pesquisar sobre uma que a capital da nação é comunista, onde se encontra nas grandes cidades lojas dos países capitalistas como Pequim (MC Donald’s, CitBank em que se deposita os lucros, etc).

Ele fala que com a revolução tecnológica deveria facilitar a vida do homem, mais com novas tecnologias exige maior força física, financeira e intelectual que toma todo o tempo do homem, ou seja, os trabalhadores poderiam usar essas horas para ficar com a família ou com amigos.

Max fala que a burguesia não pode subsistir sem transformar os instrumentos de produção e, portanto, as relações de produção( ou seja, a forma como se dá a relação de máquinas e as pessoas que trabalham com elas).

Ele tenta mostrar para a sociedade, que a evolução do capitalismo e monopólios internacionais, causaria muitas crises econômicas, sempre mais grave, o povo dependeria muito da tecnologia e a partir daí o desemprego cresce, e crimes ecológicos, o surgimento de mais empresas transnacionais cresce, que sempre explorará novos povos de fome.

Os positivista pregava a sociologia como ciência, para procurar as causas e condições do pensamento e do estudo do homem. Busca uma única verdade, que deixasse claro e completamente corretos os resultados de pesquisa e análise, para não deixar nenhuma dúvida de compreensão dos fatos, pois qualquer outro sentido de juízo de valor na pesquisa e análise pode alterar até a história. Eles desconsiderar qualquer idéia própria dos historiadores, ele tem que provar a sua afirmação através da cientificação dos estudos dos fatos, senão será desconsiderada a informação coletada.

A sociedade já existia antes de que consciência individual seja concebida. A sociedade se consagrou com autoridade, fez o homem se organiza-se e regendo ações e relações que desenvolviam entre sei por meio de normas e leis, a organização sempre existiu em nós, para Durkhein isso se chama de consciência coletiva, não existe indivíduo separado de uma noção coletiva e social, ele afirma que o homem precisa enxerga nos outros.

A moral entre os homens só tem valor se for de acordo com as leis, para que eles não ultrapasse os limites, o homem não tem capacidade de colocar entre eles essa lei de justiça, que eles respeitam a autoridade, pela sua espontânea vontade.

Ele estuda os fatos sociais como coisas, forma de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior. Desde cedo, somos orientados a seguir uma virtude de comportamento correto para se viver bem numa sociedade. Seus estudo deve ser dedicado, é atento, por mudar o conhecimento impostos de qualquer forma, ou seja, cria novos hábitos para a sociedade seguir.

Deixa claro que esses hábitos de leis, tem poder de caução e são externos ao homem, esses elementos já existe antes do nascimento da pessoa e sempre existirão após a sua morte, pois estão institucionalizadas pela sociedade, aspecto importante para sua organização e estruturação.

Método é uma tratado que estabelece regras que devem ser seguidas na análise dos fenômenos sociais. Deve escolher um fenômeno social, pela qual seja bem definido, e analisa o todo inicial que corresponde a essa definição. A compreensão de um fato social se desenvolve a partir de todos os tipos de sociedade. Deve procurar a causa que a produz e função que desempenha, procura a causa nos fatos anteriores, a função através com algum fim social.

A solidariedade mecânica se origina das semelhanças entre os membros individuais. Para comporta essa igualdade, é preciso que o grupo sobreviva, a coesão social, caracterizada na consciência coletiva, deve ser severa e repressiva. A solidariedade mecânica permanece enquanto não houver desenvolvimento da divisão do trabalho social. Cria uma nova estrutura de sociedade, um novo tipo de princípio de solidariedade, com moral própria, nasce uma nova organização social, denominada de solidariedade orgânica, deixa de lado a semelhança de indivíduos e grupos, implica na sua consciência individual mais livre, mas independente.

A divisão do trabalho social, faz com que as pessoas necessitam de relações sociais, sozinhos são incompletos, precisam de outros indivíduos para completa as funções que não exerce, para que progride o desenvolvimento sócias, ele analisa a divisão como complementação dos direitos e deveres sociais, que aproximam os homens uns aos outros, que produz a solidariedade. O valor moral da divisão do trabalho faz que cada pessoa conheça seu papel e procura fazer de melhor possível, para depois compartilhar seu desempenho com outros.

Para Durkheim a educação, é a mais importante e poderosa instituição capaz de preparar as crianças e jovens para a sociedade, impondo um comportamento social mais correto e a visão da consciência coletiva. As regras sociais imposta não pode ser emitidas nenhum juízo de valor pessoal a respeito das mesmas. Quando alguém com uma organização social baseada nas leis não-regidas, o estado perceber as transformação sociais a tempo e mudar a lei para impedir isso. A educação seria um móvel para a organização da sociedade em nível positivo, instaurando-se então um regime de Ordem e Progresso.

O pensador demonstra que o suicídio varia inversamente ao grau de integração do grupo social do qual o indivíduo faz parte, com algumas exceções por ele apontadas. Constituem fenômenos sociais, característica de um grupo, e grau de coesão, a sociologia estuda estes fatos sociais, estabelece a relação de equilíbrio entre eles.


CONCLUSÃO

Pensamento socialista tenta tente compreender a sociedade capitalista, e abre olhos da sociedade das terríveis modos de produção, devido a grande evolução da industrialização e urbanização, busca uma única classe social para acabar com a exploração do homem pelo homem, que os trabalhadores se encarregariam de eliminar as diferenças sociais, numa sociedade sem desigualdades, visando a conquista de liberdade, da igualdade de direito de sobrevivência, reivindicando condições mínimas de trabalho, prega o partido comunista, como Cuba, não tem desigualdade social, lá todos tem o direito à educação, moradia e uma dos melhores sistemas médicos do mundo. Ele discorda a sociedade capitalista por ela explorar o ser humano, só para garantir os interesses comerciais da classe burguesa, discorda dos meios técnicos e das relações de produção, criam novos meios de produção, que podem ser controlados por máquinas, computadores, deixando de lado a mão-de-obra humana, ou seja, os patrões estarão dispensados de pagar os encargos sociais dos empregados. Com isso aumenta o número de pessoas desempregadas, que a qualquer momento pode substituir os empregados que causam problemas aos patrões.

As relações de produção, trabalho e distribuição das rendas não ser transformam no mesmo ritmo. A maioria da população que não tem meios de produção, ficam a mercê das pessoas que tem. Os artesões não poderá disputar com a fábrica, só lhe resta vender o seu meio de sobrevivência e ir trabalhar na fábrica .Os patrões, os donos de fábricas só pensam nele, obter lucros e seus padrões de vida, e diminui gastos com funcionários e manter o controle do pensamento do povo.

A educação e saúde só para pessoas que tenha muito dinheiro para comprá-los assim mesmo a ajudar a manter o sistema.

A alienação política, os políticos não são eleitos por debates ou por competência, mas sim por propaganda e comunicação enganosa e, à custa de poder econômico, os direitos não são iguais entre os candidatos, e entre os cidadãos.

Na década 1990, depois da guerra fria, os capitalista dissera que Marx é um homem que tem muito a nos ensinar, sobre corrupção política, o monopólio, a alienação, a desigualdade e os mercados globais.

Durkheim procura estudar a Sociologia como se fosse uma ciência pura e exata, que contenha verdades absolutas em seu próprio conhecimento, dispensando juízos particulares. Para ele a função da Sociologia é estudar os fatos sociais e as relações de solidariedade que existem na sociedade, através deles que compreende as formas de organização e coesão das mesmas. Ele pregava a divisão social, a consciência coletiva subjuga o individualismo, e as sanções aplicadas ao indivíduo, solidariedade mecânica nasce na semelhança entre as pessoais individuais, solidariedade orgânica implica maior autonomia com uma consciência individual mais livre. A partir da divisão as pessoas precisaria umas das outras para completar as funções que não exerce.

Segundo ele, somente uma ditadura sociocrática, nos moldes positivistas, poderiam ser resolvidos os nossos problemas, para atingirmos esse objetivo tornava-se necessária a instauração do regime para alcançarmos a ordem em progresso. Ele compreende a sociedade capitalista com um elemento importante para que a ordem metodológica seja coletiva, torna-se fundamento intelectual de fraternidade entre os homens, para que não haja apenas ordem metodológica individual. A complementação de deveres sociais interliga e aproxima os indivíduos, faz com que constituam entre si relações de solidariedade bem com uma coesão social.


BIBLIOGRAFIA

BOURDÉ, Guy e MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Lisboa: Editora Europa-América.2000.

Comentários


Páginas relacionadas