Amigo Nerd.net

Empresa e Entidade

Autor:
Instituição: Finan- MS
Tema: Administração e Controle

Empresa e Entidade


1. Fatores de Produção

O maior segredo de sucesso de uma organização está na união de pessoas de diferentes funções, a integração dos colaboradores e o empenho voltado para o mesmo objetivo certamente trará muitos ganhos para a organização.

A produção é um conceito de fluxos. É uma atividade que é medida como uma taxa de produto por período de tempo, onde o produto é expresso em unidades de qualidade constante. Assim quando falamos de maior produção, queremos dizer um aumento da taxa de produto, com todas as outras dimensões da produção mantidas constantes.

Antes de apresentar o conceito de empresa (do latim prehensa, que significa negocio, empreendimento, associação organizada etc.), vamos examinar o papel que lhe cabe no sistema econômico, onde reúne ou combina os fatores de produção.

Modernamente, do ponto de vista econômico, são dois os fatores de produção:

Pela ordem, vamos verificar o que se deve entender por essas três palavras que foram mencionadas: produção, trabalho e capital.

A palavra produção significa fazer aparecer, expor, oferecer a venda, por a venda as mercadorias ou serviços.

Podemos, então, definir a produção da seguinte maneira:

"Produção é o fenômeno econômico que cria ou gera mercadorias ou serviços para a troca ou permuta."

Esta definição nos revela que a produção só pode ser de duas coisas: mercadorias ou serviços de consumo.

Como exemplos de mercadorias podemos mencionar os alimentos em geral, os remédios, as roupas, as maquinas, as ferramentas etc.

Exemplos de serviços de consumo seriam os serviços de transportes, serviços médicos ou hospitalares, serviços de diversões publicas, serviços de lavanderias etc.

Vejamos, agora, o que significam os dois fatores de produção, ou seja: o trabalho e o capital.

Podemos dizer que constitui trabalho todo esforço humano destinado à produção. De fato, o homem e o agente da produção e o seu trabalho representa o primeiro fator de produção. Quando falamos em trabalho, no terreno econômico, queremos dizer o trabalho humano, da população economicamente ativa - PEA, e não o desempenho mecânico, tampouco o esforço dos animais que parecem trabalhar. Os recursos da natureza, as máquinas industriais e os animais colocados a serviço do homem representam o segundo fator de produção, isto e, o capital.

O capital, como fator de produção, representa os recursos disponíveis e aplicados e pode ser assim classificado:

O capital financeiro constitui um financiamento (fonte de recursos) das empresas, o qual se transforma em investimento (uso dos recursos) quando são adquiridos os equipamentos de produção.

A produção só e possível com o concurso desses dois fatores, pois sem o trabalho não podemos conseguir as mercadorias e os serviços e sem capital não completamos o processo produtivo.

Cabe aqui um esclarecimento. Quando falamos em PIB de um país, queremos referir-nos a sua produção interna bruta, durante um ano: o valor, em reais, no Brasil, de todas as mercadorias e serviços produzidos. Às vezes, o PIB e representado por taxas percentuais (2%, 3%, 6% etc.) para efeito de comparações de um ano para outro ou entre os paises. O PIB e usado como indicador econômico para saber se houve ou não crescimento da economia de um país.

Por ultimo, um breve, mas importante, esclarecimento precisa ser acrescentado neste texto.

A primeira vista, esse esclarecimento não tem caráter econômico nem administrativo. Mas não e bem assim, como se Vera a seguir.

A questão gira em torno da importância que atualmente se atribui ao conhecimento ou ao saber, resultante da revolução da informação - maior uso da computação eletrônica e dos meios de telecomunicações.

Há quem afirme que esse conhecimento ou saber e - e no futuro será mais ainda -, tão ou mais importante do que o capital, mencionado anteriormente como fator de produção.

O avanço da tecnologia de informação, repetimos, da qual resulta o conhecimento ou saber, deve ser considerado condição sem a qual a produtividade (relação entre a produção e o trabalho) jamais será alcançada. E mais: nem mesmo o desenvolvimento econômico de um País.

Eis ai, resumidamente, a teoria ou tese que vem sendo divulgada por alguns autores contemporâneos.

Segundo esses autores, os países subdesenvolvidos continuarão como tal se não adotarem uma política de desenvolvimento da tecnologia da informação. Conclusão: menos conhecimento, pouco saber, falta de aptidão para o trabalho e assim por diante.


2. Conceito de Empresa e Entidade

Uma vez conhecidos os fatores de produção, estamos em condições de compreender o papel da empresa no sistema econômico de um país.

A empresa representa a organização econômica com a finalidade de reunir ou combinar os fatores de produção (trabalho e capital), tendo em vista produzir mercadorias e serviços para a satisfação das necessidades humanas.

A economia moderna - mesmo considerando o processo de globalização com fusões e aquisições empresariais -, e caracterizada pela existência de muitas e das mais variadas empresas produtoras de mercadorias e serviços de consumo.

Embora existindo outras formas de produção (o pequeno lavrador, o produtor artesanal domestico, o produtor individual), a verdade e que a empresa funciona como processo principal no sistema econômico, cujo resultado anual e revelado em termos monetários (ou percentual) pelo PIB.

Nos sistemas econômicos capitalistas, como o nosso, também chamado de livre-empresa ou livre-mercado, elas são constituídas para obtenção de lucro, que e a diferença entre o menor custo de produção (custo do trabalho e do capital) e o maior preço de vendas das mercadorias ou dos serviços. E para obter certa margem de lucro que o homem se dispõe a reunir ou combinar os fatores de produção por intermédio da empresa. Quando o preço de venda das mercadorias ou dos serviços for menor que o custo de produção a empresa terá prejuízo ao invés de lucro.

Depois destas considerações, nosso conceito de empresa pode ser assim enunciado:

"Empresa e um organismo econômico destinado a produção de mercadorias e/ou serviços, com o objetivo de lucro para o empresário."

As empresas comerciais, industriais, agrícolas, hoteleiras, de transportes, de diversões etc. são consideradas organismos econômicos que produzem mercadorias e/ou serviços com objetivo de lucro.

O lucro das empresas tem dois destinos:

Os organismos econômicos com fins não lucrativos são denominados entidades, tais como as ONGs (Organizações não governamentais), clubes esportivos, fundações educacionais, associações religiosas, instituições beneficentes, sociedades culturais etc. Geralmente, esses organismos econômicos são frutos da iniciativa privada, razão pela qual também são denominados de organizações da sociedade civil, abreviadamente "OSCs", cujo desempenho no setor terciário da economia (serviços) e cada vez mais importante nas modernas sociedades.

O conceito de entidade não difere muito do conceito de empresa, a não ser quanto a lucratividade do empreendimento.

Eis o conceito de entidade:

"Entidade e um organismo econômico destinado à produção de mercadorias e/ou serviços, sem objetivo de lucro."


3. Referência Bibliográfica

Silva, Adelphino Texeira da. Administração e controle /.10 ed., rev./ e ampl. – São Paulo: Atlas, 1997.

Comentários


Páginas relacionadas