Amigo Nerd.net

Tipos de Elásticos Usados na Confecção

Autor:
Instituição: UEM
Tema: Elásticos

Elásticos


Objetivo:

O objetivo desta pesquisa é conhecer os diversos tipos de elástico bem como a sua utilização, divulgar amostras e imagens dos elásticos mais utilizados e vendidos do mercado mostrando assim sua importância dentro da indústria do vestuário.


Introdução Teórica:

Quando os espanhóis começaram a invadir a América do Sul, sua atenção foi atraída pelo suco de uma planta com que os indígenas formavam bolas, que saltavam no chão. Uma curiosidade de viajantes em terras distantes deveria tornar-se, alguns séculos depois, a origem de uma indústria colossal, a da borracha.

Segundo alguns, a borracha já era conhecida pelos etíopes e chineses, mas esta afirmativa não está convalidada por nenhum testemunho digno de fé, ao passo que numerosos são os documentos atendíveis que revelam como tal substância já era conhecida pelos indígenas da América do Sul.

Atualmente, a maior fonte desta matéria-prima não é mais o Brasil, sua pátria de origem, mas a Indonésia, onde as sementes ou as mudas da Hevea brasiliensis, foram levadas, pelo fim do século XIX, de maneira clandestina, por um comerciante inglês, acabando com o maravilhoso ciclo que tanto enriqueceu a Amazônia, principalmente Manaus, onde o dinheiro corria a rodo. O curioso nome de cauchu, dizem os europeus outro não é senão a transcrição, feita por um cientista francês, no século XVIII do nome dado ao produto endurecido pelos indígenas da Amazônia: cahuchu. A borracha elástica é látex (isto é, uma substância esbranquiçada, pegajosa, semelhante ao leite da figueira), segregado pela casca de uma enorme planta da família das Euforbiáceas, a Hevea brasiliensis, que cresce, espontânea, nas cálidas e úmidas florestas da América Meridional. Um látex, com propriedades semelhantes era extraído de várias outras espécies vegetais, de que recordaremos apenas o Ficus elástica, justamente esse mesmo Ficus que encontramos, com freqüência, em nossas casas.

Para extrair o látex, praticam-se incisões na casa ou dela se retiram camadas bem finas.O líqüido, denso, semelhante à nata, endurece lentamente, ao ar: industrialmente, é coagulado pelo acréscimo de soluções ácidas, em geral, ácido acético. A borracha assim obtida, borracha em bruto, deformável como gesso, deve sofrer uma série de preparos para adquirir os requisitos da elasticidade, dureza, resistência etc., que fazem dela um dos produtos de consumo mais necessários no mundo moderno.

Ela é introduzida em máquinas especiais que funcionam mais ou menos como moedoras de carne, chamadas mastigadoras: elas servem para misturá-la e empastá-la, libertando-a do líquido e das impurezas. A este ponto deve-se dizer que os indígenas costumam defumá-la, quando em estado bruto, obtendo, assim, um produto bastante elástico e impermeável, mas grudento e, por isso, não é prático para trabalhá-lo. Na indústria moderna, ao invés, segue-se uma fase importante, a da mistura, isto é, à borracha são ajuntadas substâncias especiais, capazes de torná-la dura e elástica. para tal fim, emprega-se enxofre ou seus compostos; juntam-se, ainda, corantes e outras substâncias químicas, capazes de orientar a reação. A borracha, agora, está pronta para ser utilizada dos modos mais variados. É-lhe dada a forma definitiva, antes de submetê-la à vulcanização, cujo processo final a tornará realmente tal qual nós a conhecemos .

Tal processo consiste em submeter o material, ao qual forma acrescidas as substâncias mencionadas, a uma elevada temperatura (cerca de 160º), de maneira que, entre borracha bruta e enxofre, ocorram aquelas complicadas reações, que dão as características químicas e físicas desejadas. Misturada a uma quantidade maior de enxofre e levada a uma temperatura ainda mais alta a borracha se transforma, em ebanite, uma substância dura, que conhecemos.

As utilizações da borracha são infinitas, e vão das modestas borrachinhas para apagar escritos (um dos seus usos mais remotos), aos cabos elétricos, aos fios de tecido, aos tecidos impermeáveis, aos pneumáticos, às cintas etc.

O consumo e a procura de tal matéria-prima, como é fácil compreender, são tão grandes que as plantações do Brasil e da Ásia não mais bastam para satisfazer a indústria. hoje, se produz borracha sintética, em quantidades sempre crescentes.

Sintética significa "produzida artificialmente pelo homem", primeiro em laboratórios, após pesquisas complicadas, depois, em escala industrial, partindo de elementos químicos que a compõem. Atualmente, é preferida à borracha natural.

Hoje, como não se pode confiar muito no fornecimento da borracha vinda das plantações do Extremo Oriente, por causa das desordens políticas que ocorrem naquela zona, os países industriais do Ocidente incentivam de todos os modos a produção sintética deste indispensável produto. Principalmente a Europa, apesar de sua absoluta falta de matéria-prima, mantém condignamente seu lugar na indústria de borracha, graças ao aparelhamento industrial de primeira ordem. Além disso, o Brasil vem, também, incentivando a plantação da Hevea brasiliensis na Amazônia, pois se trata de produto de grande procura e aceitação no mercado.

Por volta de 1830, pedaços de elástico haviam substituído as molas de metal antes empregadas nos espartilhos e nas roupas íntimas. O elástico 100% látex, texturizado e siliconizado, com alta resistência à lavagem e secagem, suporta sessenta vezes o valor do seu peso. Este produto é amplamente utilizado pelos melhores fabricantes de biquínis do e do mundo. Por ser um produto natural (celulose regenerada), este fio não perde suas propriedades naturais e se movimenta dentro da fita, mesmo sendo recoberto. O revestimento dos fios utilizados em elásticos de tear é uma forma de garantir a qualidade da peça confeccionada, evitando que os fios corram.

Tingimento: Para se efetuar o tingimento do elástico é necessário o uso de produtos químicos que sejam capazes de combinar com a molécula da fibra têxtil.

Há dois processos de tingimento comumente usados para beneficiamento de fitas, sendo:

Embalagens: As embalagens podem ser feitas através de:

Todos os artigos são identificados por uma etiqueta indicando metragem, cor e data de fabricação.

Elástico enfestado: Grandes economias podem ser obtidas quando se desenvolve um trabalho de racionalização no setor de costura e se adota o uso do elástico enfestado. Existem vários tipos de enfesto: feito por máquina, manual e direto.

As máquinas utilizadas sobrepõem o elástico em camadas, horizontalmente, uma fita sobre a outra.

Esse é o sistema que proporciona melhor qualidade do enfesto, evitando dobras sistemáticas e tensão no elástico.

As principais vantagens no uso do elástico enfestado são:

A única possível desvantagem é o maior volume de metros por caixa.

Fechamento do elástico: Existem diversas formas, como a do fechamento de anéis, do anel direto com transpasse, aplicação externa, fechamento junto com o tecido, e assim por diante. Cada uma requer um tipo específico de máquina.

Os elásticos de crochet podem ser "fechados", isto é, costuradas as duas pontas, utilizando qualquer tipo de máquina de costura.

Em elásticos de tear esse fechamento deve ser feito sempre em uma máquina de costura reta, transpassando os pontos em 1cm a 1,5 cm e aplicando duas costuras.

Máquinas para pregar elásticos:

Máquinas do tipo BT para pregar elástico em cintura e pernas de calcinhas e similares:

KANSAI SPECIAL WX-8803EMK 1/4", plana, 3 agulhas, 5 fios, ponto corrente, bitola 1/4", com refilador inferior de beirada do tecido e medidor de elástico mecânico, 5500 r.p.m.

- JUKI-UNION SPECIAL FS-332E12-3D64/MD-2/TC-4, plana, 3 agulhas, 5 fios, ponto corrente com medidor de elástico movido a motor a passo, refilador inferior de beirada do tecido, programador e cortador de elástico acionado a ar comprimido, 6500 r.p.m.

Resultados:

Muitas empresas preferem usar elásticos de Poliéster em função de seu preço inferior. A Helanca, pois oferece maior conforto para quem usa em contato com a pele, já que não causa irritação.


Custos:

ELÁSTICO LATEX CAIXA- NASTROTEC Cod: WC26-40

R$ 23,60

ELASTICO LATEX CAIXA-NASTROTEC Cód:WC26-30

R$ 21,50

ELÁSTICO LATEX CAIXA-NASTROTEC Cód:WE40-18 LY

R$ 38,90

ELASTICO LATEX BICOLOR CAIXA-ESTRELA Cód:WE26-14

R$ 22,30

ELASTICO LATEX CAIXA-ESTRELA Cod:WP04-6

R$ 21,90

ELASTICO LATEX COM LUREX- ESTRELA Cód:WE64-26

R$ 33,60


Conclusão:

Foram encontrados diversos tipos de elásticos, dentre eles, variações de elásticos mais usados nas confecções nos dias atuais.Existem elásticos de tear e elásticos de crochet,o revestmento dos fios de elástico é uma forma de garantir a qualidade da fita elástica, geralmente fios revestidos são os de elásticos de tear.

O elástico de látex suporá sessenta vezes o valor do seu peso sem perder sua forma original, sendo assim possui uma longa vida útil e alta resistência à lavagem e secagem.

Portanto, o elástico, considerado um tecido de fios entrelaçados de borracha de látex, ganhou o mercado da confecção tendo maior utilização na fabricação de lingerie.

Alguns tipos de elásticos da fabricante Nastrotec:


Bibliografia:

www.nastrotec.com.br/produtos02.htm

members.tripod.com/netopedia/diversos/borracha.htm

www.estrela.com.br

Comentários


Páginas relacionadas